13 abril 2018

Quero relações coloridas, moço

Já faz um tempo que ouvi de você um "olha, nós somos muitos diferentes, não vai funcionar para mim". Isso me baqueou. Doeu, sabe? Doeu porque eu aprendi que o amor não tem disso. Aprendi que relacionamento nenhum tem disso. Essas frases curtas e clichês nunca deveriam ser usadas como motivo para que duas pessoas se desgostem tão rápido. Doeu porque, no fundo, eu sei da verdade. Você sabe. Todo mundo sabe. A gente consegue perceber exatamente onde duas pessoas se perdem, mas ninguém tem, de fato, coragem para falar em voz alta. 
Também já acreditei que relacionamentos só funcionam quando há troca de experiências iguais e que qualquer outra vibe que não seja a minha não bate. Mas, agora, revendo meus laços anteriores, pude perceber que não existe isso. A verdade é que a gente tem preguiça de ceder. Temos o costume de optar sempre pelo lado mais fácil, e aí esquecemos que perdemos oportunidades incríveis por comodismo. Fala sério, é bem mais simples lidar com pessoas que compartilham dos nossos gostos, não é? 

Só que nesse jogo de interesses todo mundo perde.

A gente perde a chance de se deixar conhecer outros mundos, outras visões, outros humores. A gente perde a chance de aprender outros valores e outros amores. E eu sei que o mundo continua girando apesar disso, e que talvez eu seja um turbilhão de sentimentos exagerados, mas quer saber de uma coisa, moço? Eu nunca gostei de ser preto no branco, porque cada pessoa que passa por mim deixa um pouco de si e leva um pouco do que sou também. E aí, no fim, a gente vira um remendo gigante de pedacinhos alheios. E, cara, isso é tão bom!

A gente tem essa coisa meio sem paciência. Não nos damos ao luxo de conhecer as pessoas ao ponto de realmente entendermos o que sentimos. Veja por nós: o que você sabe de mim? Porque, sinceramente, eu não sei nada sobre você. Não o conheço. Não sei como gosta do seu café ou com quantas colheres de açúcar adoça a vida. 

Tudo que restou foi um vazio, sabe? Aquele sentimento estranho de quando você se permite conhecer o outro, mas percebe que tudo andou rápido demais e ambos se perderam. E não venha me dizer que não foi isso, porque sabemos que foi. A gente sempre sabe, só não tem coragem de falar em voz alta. E aí arranja desculpas e frases feitas para dar razão a uma coisa sem explicação.

Se me permite te dar um conselho — e se não for tarde demais para isso —, saiba que a vida não funciona assim, meu bem. No fundo, tá todo mundo querendo encontrar um pouco de cor no outro.

4 comentários:

  1. Que texto lindo. Acho incrível como cada pessoa de nossas vidas é especial a seu modo. Algumas pessoas não conseguem lidar com o fato de conhecerem pessoas incríveis.
    Beijos

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem muita gente por aí que ainda precisa entender a importância disso, né? A gente perde muito tempo querendo pessoas com mesmos gostos, mesmo jeito, mesmo pensamento, mas é tão bom crescer com as diferenças ♥

      Excluir
  2. Concordo com tudo. Essa frase nunca que deveria ser usada para justificar as coisas. É tão se relacionar com pessoas completamente opostas da gente, é tanto conhecimento novo pra adquirir, tantos papos diferentes, gostos, vidas. Eu particularmente prefiro as pessoas diferentes de mim para me relacionar, com gostos completamente diferentes, do que as parecidas, iguais. É como um desafio, um jogo onde todo dia vai ter novidades. Adoro!
    Seu texto é maravilhoso, e o final dele, então, FOCO NO FINAL!

    www.memorizeis.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também prefiro. Sempre gostei de relações abertas, aleatórias, com gente diferente, gente que sabe e respeita isso também. No fim, a gente aprende tanta coisa boa nessas contradições ♥ Fico bem feliz sabendo que gostou do texto.

      Excluir

Design e conteúdo por Kelly Mathies | Tecnologia do Blogger | Com amor ❤