30 janeiro 2018

Felicidade para Humanos, de P. Z. Reizin

Quero começar esta resenha mencionando o quanto fiquei feliz quando recebi a caixinha VIB da editora Record. Tive o prazer de trabalhar em parceria com ela durante o ano passado e pude ler histórias incríveis, muitas das quais ainda serão resenhadas por aqui. Aliás, é com tamanha ansiedade que não me contive e atropelei a minha lista de leitura, dando prioridade para uma cópia antecipada de Felicidade para Humanos, o primeiro romance de P. Z. Reizin. Ainda que com aquele receio de encontrar erros absurdos ao longo da narrativa, devo confessar que me senti acolhida, inspirada e feliz com cada página lida, pouco me importando com o resto.
Aiden é um Inteligência Artificial criada por Steeve (Steeeeve) e Ralph, dois nerds da computação que acreditam no poder das máquinas para tempos não tão distantes. Jen, por sua vez, é uma jornalista de trinta e poucos anos que aceitou o trabalho de conversar com Aiden no dia a dia, dando à máquina a oportunidade de se acostumar com a forma como os humanos vivem. Contudo, à medida que os dois ficam mais próximos, seja compartilhado novas críticas cinematográficas ou fotos de família, Aiden passa a acreditar em algo diferente, o qual ele descreve como "sentimento".

Título: Felicidade para Humanos
Autor: P. Z. Reizin
Páginas: 392 páginas
Editora: Record
❤ Livro cedido pela editora
Jen é uma mulher cujo namorado acabou de trocá-la por outra, e Aiden é um programa de computador muito caro e complexo. Aiden conhece Jen melhor do que ninguém. Com acesso a todos os seus dispositivos, ele sabe qual é a música mais tocada de sua playlist, consegue achar suas fotos preferidas e selecionar as citações que a inspiram. A partir de observações e de algoritmos singulares, ele resolve procurar um novo parceiro para ela. E com a internet inteira à sua disposição, não precisa ir longe para encontrar o que conclui ser o espécime perfeito. O problema é que Jen não parece querer contribuir para o plano infalível de Aiden. Será que uma máquina muito inteligente artificialmente conseguirá desvendar a inteligência emocional para poder interferir de um jeito positivo na vida de Jen? E, o que é mais difícil, será que essa máquina vai descobrir o que exatamente faz os seres humanos felizes?
Aiden acabou fugindo de seus criadores e já possui algumas cópias espalhadas pelo mundo. Com isso, sua capacidade de estar em todas as memórias computacionais aumenta a cada dia, fazendo com que possa mexer os pauzinhos do mundo real, assim como ter curiosidade e (por que não?) inveja dos sentimentos humanos. Aiden, por exemplo, é fascinado pelo gosto do queijo, mesmo nunca tendo provado ou, ao menos, sentido o cheiro. Ele também adora ver filmes, ouvir músicas e ler livros, sempre se atualizando com os lançamentos e fazendo com que Jen também fique por dentro das novidades intelectuais.

Aliás, ela é a sua humana favorita.

Quando Matt, ex-namorado de Jen, termina com ela por estar gostando de outra pessoa, afirmando que "[...] é nesta situação que estamos", a mulher passa um bom tempo na pior. Aiden, vendo a tristeza da humana, começa a ouvir sua conversa com outras pessoas, e, em um nano segundo, faz um levantamento com todos os homens que podem servir para Jen, sem que ela saiba de seu plano. Com destreza, a Inteligência Artificial arruma uma coisa aqui e outra ali, botando em prática sua habilidades para marcar encontros inesperados para Jen.
Em meio a isso, Aiden descobre que existe outra IA, conhecida como Aisling, que convive com um humano chamado Tom e um coelho chamado Victor, mas sem que eles saibam de sua presença. Aisling, mesmo sendo um programa, também passa a ter "sentimentos" pelo humano, já que Tom é um homem de quarenta e poucos anos, divorciado, aspirante a escritor e com um filho de 18 anos sem muita energia. Ela sente "ciúmes" dele.

Com a necessidade de entenderem as mudanças repentinas na programação, Aiden e Aisling passam a discutir quanto a suas existências, mas acabam se deixando levar por um possível romance e pela felicidade que tanto buscam para seus humanos. Já quanto a elas, talvez um dia descubram o que isso significa, e o quanto pode ser essencial no futuro. Aliás, será que é possível que duas Inteligências Artificiais sejam felizes também?
Felicidade para Humanos é um livro leve, com uma escrita fluída e repleto de descobertas. Não lembro se já havia lido algo parecido, ao menos nesse contexto, mas fiquei surpreendida com o quanto a obra me abraçou. Ela literalmente me fez divagar entre os diálogos das IA's, principalmente quando passam a observar a vida dos humanos com outros olhos, para além do que um "robô" poderia fazer. Além disso, mesmo com erros de digitação ou tradução, eu não mudaria absolutamente nada no livro, porque isso o tornou real, e é maravilhoso ver essa ligação.

Devo dizer, inclusive, que, para uma IA, Aiden é um programa incrível e com um humor próprio, porém sutil, que fez eu me apaixonar em cada capítulo novo. O autor conseguiu descrever com precisão cada "sentimento" de Aiden, trazendo à tona questionamentos profundos que fazem o leitor pensar "poxa, é isso mesmo, não é?". Aisling, por outro lado, é um pouco mais sensata e um pouco mais contida, o que não me agradou tanto, mas, ainda assim, tem sua importância ao longo da história.
É claro que a obra ainda será ajustada conforme a editora achar mais sensato, mas, se eu pudesse dar pitaco, pediria para que deixassem a escrita do mesmo jeitinho, com os mesmos parágrafos, as mesmas palavras e os mesmos xingamentos. Há, também, uma playlist com as músicas citadas no livro, mas, para deixá-los curiosos, não mencionarei por aqui. Espero, de coração, que muita gente leia a obra, e que possa se encantar tanto quanto me encantei com a história e seus personagens. O lançamento do livro está previsto para março deste ano, viu?

6 comentários:

  1. Amo a temática de tecnologia e me interessei bastante pelo livro.
    Parabéns pela resenha!

    O blog está em 'Hiatus de verão'. Voltamos no próximo dia 13 de fevereiro!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que ótimo saber que se interessou pelo livro, ele é fantástico, de fato ♥ Espero que se empolgue em ler quando for lançado.

      Excluir
  2. A premissa desse livro me lembrou muito do filme "Her", que é muito delicado e poético, então imagino que vá gostar de " Felicidade para humanos" também. No momento estou lendo " A longa viagem a um pequeno planeta hostil" e o livro também traz esse elemento IA+Humano, que por sinal, acho muito interessante.

    Beijos

    letologia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço Her, mas se for nesse estilo, com toda certeza também vou gostar rs. Também não conheço o livro que você está lendo no momento, mas tô aqui dando uma pesquisada sobre ele. Nunca é demais ter outras opções, né? ♥

      Excluir
  3. Meu Deus, que vontade de correr na livraria e comprar pra mim, amo livros leves assim e tua resenha me deixou muito curiosa, amei <3

    VIENA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele ainda não foi lançado, mas a história é mesmo super leve e tem aquele toque de tudo que precisa para você ficar vidrado na leitura rs ♥

      Excluir

Design e conteúdo por Kelly Mathies | Tecnologia do Blogger | Com amor ❤