21 novembro 2017

A Menina que Não Acredita em Milagres

Vou confessar que já fazem alguns meses desde que finalizei a leitura deste livro, mas ainda não tinha conseguido tempo para processar a história e escrever uma resenha bacana sobre ela, o que me levou a esperar um momento oportuno. É claro que esse momento nunca chegou e provavelmente nem vai, e como o livro é uma coisinha que me encantou desde as primeiras páginas, não poderia deixar de indicar, não é? Apesar dos pesares, a obra aqueceu meu coração e me fez acreditar em muitas coisas impossíveis, ainda que seja um clichê do mundo dos sick-lits.
Campbell é uma garota comum, se não fosse por sua doença incorrigível que lhe toma todo o corpo. Mesmo com o diagnóstico de quanto tempo ainda teria pela frente, sua forma de encarar a vida não muda, mas a de sua família sim. A mãe de Cam é bastante ligada em promessas, e quer fazer de tudo para ver a filha bem novamente, ainda que isso esteja a quilômetros de distância de onde moram. É assim que Cam, sua mãe e sua irmã vão parar em Promise, uma cidade do interior com a fama de milagrosa.

Título: A Menina que Não Acredita em Milagres
Autor: Wendy Wunder
Páginas: 327 páginas
Editora: Novo Conceito
❤ Livro cedido em parceria com a editora
Campbell tem 17 anos. Ela não acredita em Deus. Muito menos em milagres. Cam sabe que tem pouco tempo de vida, por isso quer viver intensamente e fazer tudo o que nunca fez, no tempo que lhe resta. Mas sua mãe não aceita o fato de perder a filha, assim, ela a convence a fazer uma viagem para Promise, um lugar conhecido por seus acontecimentos miraculosos. Lá, Cam se depara com eventos inacreditáveis e com o primeiro amor. Ela encontra, finalmente, o que estava procurando mesmo sem saber. Mas será que mudará de ideia em relação à probabilidade de milagres?
Ainda que as esperanças de Cam não estejam nas alturas (na verdade, talvez elas nem existam mais), a garota sabe que não pode se deixar levar por algo que já esperava. É com esse pensamento que ela se recordar de uma lista de coisas que fez com a melhor amiga, a qual deram o nome de Lista do Flamingo. Cada ponto citado deveria ser levado a sério, como fazer uma tatuagem aos 16 anos e beijar um garoto em uma roda-gigante. Coisas simples ou complexas que seria a chave para a felicidade.
Assim, mesmo que não acredite em milagres, Cam faz de tudo para se dar bem com a irmã mais nova e devolver um sorriso no rosto da mãe. Aliás, em Promise, Cam também conhece alguém: Asher, que se torna uma grande companhia. Nessa relação, que beira amizade e amor, ambos aprendem um com o outro sobre a necessidade de fazer valer a pena, e o quanto é essencial que deixar os medos de lado para tentar novas possibilidades. Enquanto que Cam carrega uma personalidade forte e, às vezes, bem ácida; Asher revida com toques de bom-humor e paciência.
 
A Menina que Não Acredita em Milagres é uma leitura leve na forma como foi escrita, mas intensa na maneira como os sentimentos da personagem são descritos. Me vi por diversas vezes na pele da Cam e sim, foi um nível de identificação que não imaginei acontecer com este livro em si. A personalidade da personagem principal tem muito de mim descrito nas entrelinhas, e isso me fez gostar ainda mais de todo o contexto. É claro que, assim como todos os livros de literatura enferma, temos um final de quebrar o coração, mas em nada isso interfere na qualidade da obra.

Uma coisa que me incomodou foi a alternância entre primeira e terceira pessoa. Em alguns momentos a autora escrever como se o leitor fosse uma terceira pessoa, analisando as atitudes da personagem. No entanto, na maioria das vezes, a narrativa é feita pela própria Cam, o que deixa a leitura meio confusa, um pouco sem nexo até. Faltou um pouco de cuidado, tanto por parte da revisão quanto da escrita em si.
Não posso reclamar da diagramação, porque a capa é linda e tem tudo a ver com a história, principalmente no que diz respeito a lista do flamingo. As folhas também são amareladas, os capítulos são pequenos e as cores escolhidas combinam plenamente. Aliás, mesmo tendo 300 e pouquinhas páginas, a leitura flui muito bem. Não lembro ao certo quanto tempo demorei para ler o livro, mas juro que não passou de dois dias. Acredito que a Novo Conceito mandou super bem com a publicação do livro e a autora tem tudo para ser um sucesso por aí.

No mais, é uma obra muito bonita, com uma mensagem de esperança, fé e crença. Ela não tem aquela vibe de tristeza que talvez pudesse ter por conta do enredo. Na verdade, é uma história bem positiva e cheia de aprendizados para quem estiver disposto a entendê-los. E se você não acredita mais na vida, pode ter certeza de que sempre vai existir alguém disposto a fazer isso por você. Espero encontrar mais histórias assim nas livrarias. Ah, e se querem saber, também montei minha lista do flamingo.

6 comentários:

  1. eu gostei desse livro, parece ser uma história bem linda e emocionante, adorei a resenha e suas fotos

    Blog Entre Ver e Viver

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele tem mesmo uma história diferente, apesar de envolver todo o clichê do gênero rs. Tenho certeza de que curtiria a leitura ♥ Obrigada pelas palavras, moça.

      Excluir
  2. Que fofura de livro! Esse me ganharia pela capa!
    Eu gosto de sick lit... Gosto dessa vibe meio deprê, mas bom saber que ele foge dos clichês. Isso sempre é bom. Nunca tinha ouvido falar nesse livro, mas agora tive vontade de ler. Bela resenha!
    Check-in Virtual

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também amo sick lit, mesmo com a vibe deprê rs ♥ O livro foi bem trabalhado na diagramação, é mais simples, mas bem bonito. Tomara que possa ler em breve e que ele te surpreenda.

      Excluir
  3. Algo que sempre acontece após as suas resenhas: fico querendo saber o final. Afinal, será que ela venceu a doença? Como passaram por esse momento? Rs. Eu amo as fotos que tira dos livros, confesso que é uma das coisas que mais me prende as suas postagens kkk um beijo
    -
    www.suave-pensamento.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leiaaa, o livro é ótimo ♥ Fico bem feliz sabendo que te deixo nessa curiosidade aieiuheihu. Muito obrigada pelas palavras, moça.

      Excluir

Design e conteúdo por Kelly Mathies | Tecnologia do Blogger | Com amor ❤