23 outubro 2017

Só Os Animais Salvam, de Ceridwen Dovey

Confesso que esse foi o primeiro livro da DarkSide que, apesar de lindo de todas as formas possíveis, tanto de estética quanto de conteúdo, não me prendeu. Eu me arrastei lendo as histórias e levei muito mais tempo do que o normal em uma obra com contos tão singelos. Na verdade, não sei se a escrita da autora não me convenceu ou eu que não consegui me identificar. De qualquer maneira, ele me ensinou algumas lições valiosas sobre os animais: essas criaturas peculiares que aparecem nas nossas vidas por acaso e nos amam incondicionalmente, mesmo quando nossos atos não são dignos de amor.
Só Os Animais Salvam é uma obra diferente, exatamente como seu contexto. Dividida em 10 contos, temos em cada um deles a visão dos animais que vivenciaram as guerras humanas, como a Segunda Guerra Mundial ou a Guerra Fria. Em alguns, como o do chimpanzé Peter Vermelho, a narrativa muda de um texto corrido para cartas trocadas, o que, confesso, me chamou mais atenção do que as demais. No entanto, todas as histórias, de forma direta ou indireta, acabam marcando o leitor.
 
Título: Só Os Animais Salvam
Autor: Ceridwen Dovey
Páginas: 240 páginas
Editora: DarkSide Books

❤ Livro cedido em parceria com a editora
Nós, humanos, achamos que somos o máximo. Mas o que temos feito com o nosso mundo? Só os Animais Salvam é um livro que tenta responder a essa pergunta de maneira inusitada. Cada um de seus contos é uma fábula moderna, narrada pela alma de um animal envolvido em mais um de nossos incontáveis conflitos e guerras humanas ao longo do último século, e suas espantosas e formidáveis histórias de vida e morte. Em meio ao caos, os animais conseguem encontrar esperança e inspiração em uma das atividades mais significativas que nossa espécie já criou: a literatura.
Apesar de os contos remeterem a algo menos atrevido e mais leve, cada entrelinha possui surpresas que chocam o leitor, não só pela forma como são contadas, mas pelo fato de que pouco sabemos sobre a violência sendo vista de outro ângulo. E a autora consegue descrever com sensibilidade cada detalhe. Isso já começa com a ordem das fábulas, partindo de 1892, com a narrativa de um camelo, até chegar em 2006, com a história de um papagaio. O mais interessante disso é que os contos são acontecem sempre no mesmo local, eles perpassam por inúmeros lugares, como Austrália, Líbano, Estados Unidos e Moçambique, sendo indicados sempre junto ao ano em que o animalzinho em questão morreu. Além disso, as narrativas também acompanham seu tempo, o que facilita a identificação.
Um dos contos que mais me prendeu foi o Alma de Cachorro, contado por uma versão moderna de um cão-lobo alemão que mostrou fidelidade ao seu Mestre até o fim de seus dias. Mesmo sendo exilado do templo em que morava, o cão vagou pela floresta, convivendo com a alma de animais mortos, para encontrar uma forma de se redimir ou sobreviver. Entretanto, acabou junto a outros cães em meio a guerra. Já na fábula Alma de Chimpanzé, nos deparamos com um chimpanzé chamado Peter Vermelho, que troca cartas com a esposa de um treinador para saber sobre sua futura companheira, Hazel. Só que esse contato com a humana o faz pensar mais nela do que em sua esposa, magoando Hazel. Peter havia sido treinado para ser um humano, mas, em seu último dia, a degradação se faz presente. Ele é novamente um animal.

O livro foi muito bem pensado e toda a diagramação, assim como sempre menciono, ficou impecável. É tão bacana quando o leitor consegue sentir a obra, não é? A gente não só aproveita a história, mas também a forma como ela nos foi disponibilizada, e disso eu não posso reclamar em nada. A capa é espetacular, e o conteúdo em si, mesmo com minha opinião contrária, tem um quê especial.
Posso dizer que as histórias são tocantes e foram escritas com uma delicadeza única, mas parece que eu não consegui digerir os fatos da maneira correta. Em muitos contos me senti perdida, sem saber o que pensar ou como interpretá-los para que o entendimento fosse sensato. No fim, desisti de entender e passei apenas a interpretar as fábulas da forma como elas foram colocadas no livro: com sutileza. Acredito que este seja um livro para se deliciar, absorver aos poucos e vagarosamente. Talvez em outro momento, com mais calma e sem tantas coisas na cabeça, volte a lê-lo. E, quem sabe nesse dia, minha opinião mude.

20 comentários:

  1. O livro está na minha wishlist de final de ano.
    Bj e fk c Deus.
    Nana - procurandoamigosvirtuais.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. A capa desse livro é tão bonita! *-*
    Mesmo eu amando animais e achando que esse livro parece ser emocionante esse é um dos poucos livros da editora que não chamou tanto a minha atenção não sei porque...
    Suas fotos ficaram lindas, deixaram a capa ainda mais atraente ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois não é? Ainda que eu ame os livros da Dark, este foi um que não me atraiu desde o começo. Mas convenhamos que a diagramação é uma coisa maravilhosa ♥

      Excluir
  3. Olá!
    Eu tenho paixão pelas capas dessa editora. Ainda não vi nenhum que me desagradável também. Sou maníaca por gatos, então já estou de olho nesse marcador. Contudo, não consigo ler livros com temáticas que envolvem animais, pois choro horrores, mesmo sendo contos é um formato que muito me agrada.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os contos não tem essa coisa triste, sabe? Eles são, sim, mais pesados por envolver épocas complicadas e históricas, mas tem muito a oferecer para o leitor ♥

      Excluir
  4. Não tinha conhecimento desse livro ainda, parece que o selo Darklove tem bastante altos e baixos, já que é algo bem fora do padrão da caveira. Mas achei a estética da capa bastante bonita. Não sei se me interessaria ir atrás dele, mas já gostei de tanta coisa que achei que não gostaria que só pegando pra saber mesmo né?

    Bites!
    TaryBelmont

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade não é fora do padrão, a Dark com a linha de "romance" envolve muitos contos parecidos com os que estão neste livro. A editora anda apostando em novos públicos, o que é ótimo. Mas espero que possa ver um dia e gostar do livro, vai que te prende, né? ♥

      Excluir
  5. Não conhecia este livro, eu gosto de contos.Parece ser uma leitura bem bacana apesar de sua opinião sincera sobre ele.É que a gente quer digerir bem, e cansa essas tentativas! rsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tentativas frustradas realmente cansam :( Mas o livro tem uma coisa bonita apesar dos apesares rs. Talvez para quem curta o gênero seja um prato em cheio ♥

      Excluir
  6. Já li resenhas falando maravilhas desse livro, mas a sua foi a primeira que me fez entender de fato o a proposta da história. Confesso que não sou muito fã de comprar livros que possuem animais em destaque, pois geralmente são histórias que mexem com nosso emocional 100x mais que uma história normal (bom pelo menos pra mim, bichinhos me deixam emotiva). Mas não consegui senti isso com esse livro. Ele é lindo, parece trazer lições valiosas, mas parece faltar aquele elemento universal que cativa ao primeiro olhar.

    Blog Profano Feminino

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, que bom que consegue te passar o que o livro me fez sentir. Realmente é isso: parece que falta alguma coisa, um toque a mais para prender o leitor. Como o gênero em si não me agrada tanto, trabalhar esse lado poderia ser bacana por parte do autor. Mas tenho certeza de que muita gente vai curtir as histórias, então vale a tentativa, né? ♥ E sim, histórias de bichinhos também me fez ser sentimental ao extremo rs.

      Excluir
  7. Não conhecia o livro, mas super me interessei por ele apesar da sua resenha, parece ser um bom livro. Quem sabe eu não goste dele né.

    Vou indicar alguns blogs literários no meu blog, será que posso colocar o seu na indicação também?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caso leia, espero que goste mesmo do livro e dos contos. Apesar de não me agradar, aquele fundinho bonito existe e deve ser reconhecido ♥ E claro! Fique a vontade em indicar, é uma honra.

      Excluir
  8. Até hoje só li dois livros de contos.
    O livro parece ser uma graça, começando pela capa.
    Mas parece também que dá impacto né?
    Costumo não gostar quando não consigo compreender de maneira clara a leitura, mas com a cabeça mais leve, sem muitas tarefas, uma releitura é super válida.
    Beijinhos ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A diagramação do livro é uma beleza a parte, sabe? É possível que você fiquei apaixonada por ela, mesmo que não goste do livro iuaeiauheiueh ♥ A releitura com a cabeça leve realmente faz a diferença, mas acho que esta obra em si não me agradou tanto por envolver um gênero que não me cativa tanto. Mas é gosto pessoal, talvez você leia e ame rs.

      Excluir
  9. Nossa, a visão dos animais, não consigo nem imaginar :O fiquei bem curiosa para ler esse livro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que ficou curiosa, se gosta de uma abordagem diferente, provavelmente vai adorar o livro ♥ Ele é cheio de detalhes.

      Excluir
  10. Confesso que fiquei bem curiosa, amo animais e trabalho em prol deles o ano todo há muitos anos então imagino que seria bem interessante conhecer essas histórias ❤️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bacana saber disso ♥♥ Sim, é muito interessante conhecer uma história por outro ângulo. Não ficou tão claro para mim, mas talvez você se apaixone por cada conto.

      Excluir

Design e conteúdo por Kelly Mathies | Tecnologia do Blogger | Com amor ❤