05 setembro 2017

5 lições que a faculdade me ensinou

Depois de três anos convivendo com os mesmos professores, os mesmos colegas e as mesmas peculiaridades, cheguei em um momento da minha vida acadêmica que simplesmente não me importo mais. Eu aceito e sigo em frente, fingindo que não vi e não ouvi. Lembro que lá no primeiro semestre me incomodava muito com pequenos detalhes, só que uma hora ou outra isso cansa. Ando tão exausta mental, emocional e psicologicamente que deixo estar. Aquele bom e velho "eu te avisei" sempre vai constar no meu vocabulário, mas passei a usar somente com quem realmente importa. Esses anos me ensinaram muito, e são lições que, sendo bem sincera, eu gostaria de ter tido consciência antes mesmo de pensar em ser graduanda, por isso, compartilho-as aqui.

É cada um por si

A gente sempre pensa o melhor do outro e espera que seja verdade aquilo que nossa imaginação permite, mas não funciona dessa forma. Tanto colegas quanto professores me decepcionaram aos montes. O primeiro grupo por querer incansavelmente passar por cima de qualquer um, não se importando com o fato de que somos seres humanos, temos opiniões diferentes e cada ponto de vista deve ser valorizado. Já o segundo grupo por acreditar veemente que o educador sabe de tudo e não precisa aprender com seus educandos. Existe, sim, uma parcela de exceção, em que se encaixam aquelas pessoas maravilhosas que a gente esbarra sem querer e torce para não largar mais. No entanto, o grupo positivo não chega nem perto da quantidade de pessoas egoístas.

Ninguém é melhor do que ninguém

Desde o primeiro semestre tenho aula com algumas pessoas mais velhas, mais entendidas da vida. Essas criaturas são ótimas a sua maneira, mas a partir do momento em que acreditam que são melhores do que qualquer outra pessoa, as coisas começam a complicar. Aprendi desde pequena sobre respeito e sei exatamente como aplicar esse conhecimento, mas há uma coisa chamada limite que precisa ser considerada sempre. Ninguém, em hipótese alguma, é melhor do que o outro. Todo indivíduo possui algo que ainda não foi aprendido, mas que talvez o outro já saiba.

Tudo bem não conseguir um estágio

Quando paro pra pensar nas entrevistas que fiz e nos inúmeros não's que recebi, vejo que isso não é um problema. A gente tem aquele ideal de conseguir um emprego dos sonhos, em uma empresa bacana que olha pelo funcionário, mas a única coisa que encontramos são portas fechadas e exigências absurdas. Caramba! Eu tinha acabado de terminar o Ensino Médio e estava fazendo um curso bacana, aprendendo coisas novas todos os dias, mas isso nunca é o suficiente. As empresas exigem pessoas incríveis, incluindo uma super fluência em todos os idiomas e um vasto conhecimento insignificante para o ramo de atuação. Então tudo bem, uma hora alguém vai olhar para você e pensar "poxa, eu posso dar uma chance", e vai ser maravilhoso.

Não exija tanto de si mesmo

É normal queremos as coisas certas e que isso nos leve a um reconhecimento maior, mas é errado exigirmos tanto de nós mesmos quando sabemos que aquilo não vai nos levar para frente. Não sei se já comentei por aqui, mas o ensino da Estácio é péssimo, em um nível realmente inferior, então posso afirmar que de nada vale a pena exceder o limite da sanidade por conta de um trabalho. É essencial se dedicar, se organizar, dar o nosso melhor em tudo que fazemos, mas se o nosso melhor não é o suficiente para terceiros, está tudo bem, porque é com os erros que nos tornamos cada dia melhores.

A faculdade não te ensina tudo

Um segredo fundamental: vou me formar (se Deus quiser!) ano que vem, mas isso não significa que eu tenha o conhecimento necessário que talvez o mercado exija. É um eterno aprendizado, mas não daqueles que você consegue pegar lendo livros ou autores renomados, você só começa a aprender quando coloca a mão na massa. Tudo que aprendi até agora não se formou com as teorias da sala de aula, mas, sim, com as aulas práticas, tentando, quebrando a cara e não desistindo. Para ser sincera, a faculdade não nos ensina quase nada, apenas o básico, porque o resto é com você.

22 comentários:

  1. Oi, Kelly.
    Realmente na faculdade é muito você por você, minha mãe sempre falava isso, na faculdade se você não correr atrás das coisas vai ficar para trás, fato.
    E também me ensinou que existem pessoas sábias que nunca se quer pisaram em uma escola, por isso ninguém é melhor por ter um diplona na parede.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre ouvi coisas boas sobre a faculdade, principalmente sobre amizades que a gente leva pra vida, mas, sinceramente, isso eu não vi nem de longe iauhehae. Eu concordo super com a última parte. Não é porque temos um diploma de isso ou aquilo que somos melhores do que outra pessoa. Falta equilíbrio.

      Excluir
  2. Faço desse post as minhas palavras. Realmente é complicado, estou no 5 ano de arquitetura e não vejo a hora de acabar, eu entrei na faculdade com uma ideia totalmente diferente, depois que eu vi que cada um só se preocupa com o próprio umbigo, vi que eu estava muito errada.
    Beijos.


    sonhosdegarota.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu entrei achando que seria o máximo, que as pessoas se ajudariam e que todo mundo iria estar sempre junto, mas não é bem por aí. É meio que uma competição, e isso é uma droga.

      Excluir
  3. Kelly, acho sensacional que tudo o que você tem passado é o mesmo que tenho vivido do lado de cá também. Estou no quinto semestre de jornalismo e posso te dizer que tenho passado por cada uma dessas fases. Tanto é que meu último post lá no blog foi uma crônica sobre a faculdade — ironicamente pedida por um professor.

    1- Amigo, amigo de verdade, só considero um. A gente tem feito todos os trabalhos em dupla juntos, ele sabe discutir e juntar as nossas ideias de um jeito bom para os dois e sempre sai um resultado bacana porque ninguém quer sair por cima do outro. Mas é ter trabalho em grupo que o negócio muda de figura, como diz minha vó, e quase sempre gera uma treta desnecessária...

    2- Me sentia meio mal por ser a mais nova da sala. Eu acostumada com aquela quase equivalência do ensino médio, caí numa turma com um cara de 43 anos, cinegrafista por 12 na Band e mais outros 3 de Rede Globo. Uma mulher de 48 que é assessora de imprensa e outra de 31 que depois virou repórter do Faustão (Renata Longaray). Enquanto eu mal tinha completado os 18, ainda estava no primeiro emprego, de atendente de lanchonete do McDonald's. Fazendo das tripas coração pra comprar qualquer coisa. Achei meio injusto, mas foi engraçado (e irônico) perceber que em muitas atividades eu era elogiada enquanto essas pessoas que eu quase que idolatrava de tanta inveja (Boa? Ruim? Não sei) não se saíam tão bem. Hoje sou mais de boa com isso. Ainda não to no emprego ideal, mas vida que segue. Só tenho 20 anos. Ainda tem muito pra acontecer e cada um tem o seu próprio tempo.

    3- Isso ainda me preocupa. Mas eu já decidi que o que faço é por amor. E o amor tudo supera. (O que pode parecer um pensamento lindo demais para quem está pensando na profissão que provavelmente lhe renderá o pão do futuro, mas enquanto der pra seguir assim, ok).

    4- Parei com isso desde semestre passado quando tive um surto no trabalho e xinguei até a coitada da cliente. Com um nível de estresse lá em cima, descontei até em quem não devia. Superei. E prometi a mim mesma diminuir no perfeccionismo e na autocrítica. Chega.

    5- Não ensina nada mesmo. Talvez te mostre o caminho, no máximo. O riscos de percorrê-lo quem correm somos nós (acho que a concordância dessa frase está ruim, mas ok por hoje também).

    PS.: SAUDADES DAQUI!

    PS2.: Que comentário enorme que eu fiz! Desculpas...

    Com carinho,
    Conto Paulistano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu amo teus comentários quilométricos ♥ Aliás, também tava com saudade de ti por aqui e pela minha lista de leitura, viu?

      1. Sempre vai rolar treta em trabalho em grupo, e olha que eu sou uma pessoa bem calma quando se trata disso, viu? Também tenho algumas pessoas que consigo fazer trabalhos sem problema com elas, porque a gente se entende, tem uma ligação, mas é só isso rs. Amizade não rola, então é bacana ver que ao menos você conseguiu isso.

      2. Ainda temos muito o que caminhar até chegar ao nível de experiência dessas pessoas, mas nem sempre elas realmente são melhores, às vezes apenas conhecem mais o mundo ao qual a gente ainda está preparando para entrar.

      3. Eu nem vou comentar sobre o salário de um jornalista, porque nem sei se o pão vai me render aiuheiauhuie.

      4. A gente sempre tem esses momentos de surto, né? Também já tive um caso parecido, mas é vida que segue e aprendemos com nossos erros. Às vezes esses surtos até fazem bem aieuhiuahe.

      5. Faculdade é só um papel, a experiência tá fora das quatro paredes rs.

      Vamos superar tudo isso juntas e vai dar tudo certo ♥

      Excluir
  4. Me formei agora em Julho no curso de Jornalismo e senti um alívio absurdo! E nossa, parece que quem escreveu esse texto fui eu, rs. Apesar das amizades que fazemos ao longo do caminho, a real é que a faculdade é cada um por si, afinal, todos vamos ser concorrentes no mercado de trabalho... E sobre o aprendizado, quando você acha que aprendeu tudo nas aulas práticas, quando chega no mercado você percebe que não aprendeu nada!! Boa sorte aí para terminar o curso e os semestre que ainda virão!

    Um beijo enorme ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que isso de concorrência no mercado de trabalho é mais um obstáculo que a própria faculdade gosta de enfiar na nossa cabeça, sabe? Não existe isso. Vamos, sim, querer empregos iguais, com pessoas iguais, chefes iguais, em redações iguais, mas se um ajuda o outro, não tem nada disso. Mas então entra também a coisa de cada um por si rs. É uma pena tudo isso. Aliás, parabéns pela formatura, ganha o mundo, viu? ♥

      Excluir
  5. Meu Deus, que texto perfeito!!! ❤
    Tenho pensado muito em tudo isso. Eu trabalhei por anos mais de 10 anos antes de entrar numa faculdade. Agora tenho 28 e me vejo estudante numa área que já tenho anos de experiência. Do outro lado vejo alunos que acabaram de sair do ensino médio e sentem que tudo é novo pra eles. Mas pra mim, que já tenho a experiência prática, fico passando nervoso com tanto blablabla acadêmico que não reflete a realidade nem te prepara pra nada. Acho tudo perda de tempo e enfadonho. O único motivo de eu seguir estudando é o diploma. Porque vivemos numa sociedade onde esse pedaço de papel pode decidir muita coisa na sua vida. Basicamente é isso, preciso do papel. Mas na prática, o ambiente acadêmico pode até te preparar pra ser um pesquisador, mas pro mundo real não prepara. Passa longe disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É esse o problema. A academia nos ensina muito sobre teorias, estudiosos, ciência, filósofos, mas esquece do principal: a prática. Nada do que aprendemos em sala de aula acontece de fato na vida real. É uma loucura pensar nisso, porque se formos ver de verdade, não estamos preparados para o mercado, acho que nem mesmo vamos estar algum dia. Mas é isso, precisamos de um maldito papel, que não sei se vai valer de algo pra nós, mas certamente vai valer para o mercado.

      Excluir
  6. oi Kelly!
    tenho que concordar com você em peso em todos os pontos levantados. agora, que estou um pouco afastada da faculdade [pois não abriram matérias presenciais para o meu período esse semestre (alô, Estácio, vamos melhorar?) e eu fiquei com leve preguiça de puxar matéria da frente – preferi puxar todas as onlines que assim fico mais tranquila nos próximos semestres –], vejo o quanto eu me preocupava com trabalho, texto não lido, inúmeras crises de ansiedade, passava mal de verdade na época de apresentar trabalho e provas, tudo desespero realmente desnecessário pois cada dia que passa, cada conteúdo online que eu tenho visto, tanto da faculdade como artigos soltos que tenho lido, me levaram a mesma conclusão que você no ponto 5: a gente não aprende quase nada.
    claro que faculdade dá alguma base, direciona para alguns assuntos mas na realidade, muito do que eu aprendi sobre comunicação e como fazer acontecer é na pequena experiência de 1 ano que tive com estágio. e só.
    tenho a sensação de que vou terminar a faculdade sem saber de muita coisa, apenas com um papel atestando que estou apta a trabalhar como jornalista, porque de aprendizado e lições mesmo, só a prática.
    enfim... acho que esse sentimento não é só nosso, mas sim da grande maioria de graduandos.
    e, tenho que concordar que o ensino da estácio é realmente péssimo! rs

    mas, somos mulheres incríveis e teremos sucesso em qualquer que seja a área de comunicação que resolvamos atuar.
    te desejo muita prosperidade, Kelly. um beijo,

    www.vestidinhojeans.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Estácio é péssima em diversos quesitos, principalmente quanto ao atendimento ao aluno ou quanto a organização das disciplinas e cursos. Infelizmente vou ficar mais um ano por conta da má formação de grade do meu curso e das benditas matérias que só abrem anualmente. Mas vamos em frente! A faculdade dá sim uma base bacana, mas é só isso, é só um apoio mínimo para o que vamos enfrentar mais na frente. Só espero que seja algo positivo e que ao menos o mercado abra as portas para muitos de nós que ainda estão conhecendo tudo isso rs. Vai dar tudo certo ♥

      Excluir
  7. Oi Kelly
    Saudade de vir aqui falar com você. Eu tranquei meu curso quando acabei o primeiro semestre mas já tinha percebido tudo isso que citou. Me entristece esse lance de ser cada um por si. Sempre achei que o companheirismo é a melhor pedida.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre achei que existia muito disso do companheirismo, mas é decepcionante ver que, na verdade, é muito pelo contrário. Saudade de você por aqui também ♥

      Excluir
  8. Minha mãe vive me dizendo que eu me cobro de mais, e na real ela tem razão. Mas cara, é tão complicado se livrar disso, ainda mais quando a gente quer fazer tudo certinho para ter um ótimo resultado no final. Sempre me cobrei muito, mas agora na universidade eu ando num nível alto demais, e olha, isso tem sido péssimo :/

    A universidade é legal até certo ponto, mas depois de um certo tempo começa a ser desgastante demais. Só espero que no final valha a pena!

    Gostei do seu post :) beijos <3

    www.verifiqueapagina.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que depende muito da universidade e do curso em questão, porque, sinceramente, assim como vi em outros comentários mais acima, muitas vezes ficamos anos dentro de quatro paredes para aprender poucas coisas e ter um papel em mãos para mostrar no mercado, uma vez que experiência mesmo só vem com a prática. Mas, falando sério, não se cobre tanto, é bom dar o melhor do si, mas não vale tanto esforço. Boa sorte com os próximos semestres ♥

      Excluir
  9. Eu por enquanto tô recém na segunda semana mas já estou percebendo algumas coisas. Tenho mania de achar que todo mundo é bonzinho e que a turma toda vai se ajudar e vai ser lindo mas tô vendo que vou me ferrar por pensar assim, hahah
    Muito verdade tudo o que tu aprendeu :)
    Beijo!

    Sorriso Espontâneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poderia ser lindo, sabe? Poderia ter uma amizade linda e imensa no meio disso tudo, mas não tem. Não tem porque as pessoas são muito egoístas e ignorantes. Elas querem passar por cima dos outros a todo custo. Há quem se salve, mas a maioria não pensa nisso, infelizmente rs.

      Excluir
  10. NOSSA ..
    você me pareceu bem cansada e revoltada com a sua faculdade e a profissão que escolheu, isso está bem claro no texto e me deixou um pouca assustada kk (acabei de entrar para a faculdade)

    Mas já venho percebendo algumas coisas sim, por exemplo o fato de algumas pessoas mais velhas querer diminuir nos que somos mais novas, ou então o fato de fulano pensar que e melhor do que o outro, isso e fato que acho que se enquadra em muitos ambientes... O fato de as pessoas serem egoísta, isso é o que mais ando aprendendo, na faculdade e cada um por si. outra coisa também que eu venho observando são os estágios, e muita exigência mesmo e triste mais não devemos desistir ..
    fique bem moça, ta acabando hehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não estou revoltada, ma cansada sim, com tamanha certeza rs. Tem tanta coisa errada que a gente fica meio sem saber o que fazer, o que pensar ou como agir, sabe? Por mais que eu queira curtir o momento, vejo que grande parte das coisas boas não equivalem as ruins, o que é péssimo. Espero que sua experiência seja muito melhor do que a minha ♥

      Excluir
  11. Eu to na segunda facu (tranquei o primeiro curso) e o que eu tenho aprendido é que não fui para facu fazer amigos, então se o grupo que eu estiver trabalhando for uma bosta (desculpe o termo) a coisa mais sábia a se fazer é mudar de grupo sem peso.
    Outra coisa é sobre ir mal nas provas. Aprendi a rir das situações e isso tem me salvado pq antes ia ficar estressada e me achando a burra. To sendo leve.

    Acredito que a facu ensina muito, mas só os espertos conseguem pegar o aprendizado fora da lousa e você foi uma delas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho muita dificuldade de me adaptar a novos grupos, então acabo sempre fazendo sozinha ou com quem realmente sei que vai botar a mão na massa tanto quanto eu. Eu também vivia irritada por ir mal, mas a gente aprende tão pouco nas aulas que parei de me estressar com isso.

      Excluir

Design e conteúdo por Kelly Mathies | Tecnologia do Blogger | Com amor ❤