15 agosto 2017

Time Humanos, de Justine e Sarah Rees

Eu não tenho certeza se vocês sabem sobre minha paixão em histórias vampíricas, mas sim, sou apaixonada por tudo que envolve o assunto, e Crepúsculo foi o grande responsável por esse meu amor. Por mais que hoje eu considere os primeiros filmes verdadeiras relíquias mal feitas, ainda não largo mão de acompanhar maratonas. É justamente por conta disso que adoro descobrir histórias novas que tratam do tema, principalmente no quesito romance. Sendo assim, quando a editora me mandou a listinha de lançamentos e vi a sinopse de Time Humanos, corri para solicitar o livro e fiquei na expectativa de uma obra incrível. É claro que não foi bem isso que aconteceu, mas sabe quando mesmo não gostando do livro você tem empatia pelo enredo? Então.
Mel é uma garota independente que sabe das coisas. Geralmente é ela que resolve o problema de todos os amigos, mesmo quando eles não estão dispostos a serem ajudados, só não a peça para que goste de um vampiro, porque ela é totalmente a favor dos humanos. Mesmo morando em um local que divide a sociedade humana da sociedade de vampiros e Shades (clãs), Mel ainda não sabe como as pessoas conseguem ser tão apaixonadas por essas criaturas. Eles são mortos-vivos que não sorriem, estão sempre em temperatura ambiente e possuem uma formalidade de dar nos nervos. No entanto, Cathy, sua melhor amiga, pensa exatamente o contrário.

Título: Time Humanos
Autores: Justine Larbalestier e Sarah Rees
Páginas: 352 páginas
Editora: Galera Record

❤ Livro cedido em parceria com a editora
Mel nunca gostou de vampiros. Eles perdem a capacidade de sorrir, param de ter sentimentos, isso sem falar que, durante a transformação, se as coisas derem errado, você se torna um zumbi e eles matam você. É um risco grande demais! No entanto, quando Cathy e Francis Duvaney, um vampiro de séculos atrás, se apaixonam, Mel fica apavorada. Ele é arrogante, formal e esplêndido demais. Assim, quando ela começa a suspeitar de que Francis está usando Cathy num plano que não tem nada a ver com amor, Mel passa a dedicar seus dias a desvendar a verdade por trás do vampiro para fazer sua melhor amiga enxergar que aquele é um amor sem futuro. Mas, talvez, ela esteja sendo um pouco preconceituosa.
Francis é novato na escola e não tem problema algum em revelar sua verdadeira essência, ou sua verdadeira idade, para ser mais exata. Ele tem olhos incríveis e um corpo escultural, o que faz todas as garotas suspirarem e dividirem o tempo entre admirá-lo e seduzi-lo. Cathy, por outro lado, é tímida o suficiente para se conter, mas isso não significa que Mel não precise se preocupar, já que a garota fica com os olhos brilhando pelo vampiro. Ela só precisa fazer a melhor amiga mudar de ideia.

No entanto, quando o ex-namorado-agora-melhor-amigo resolve chamar o rapaz para uma apresentação amigável enquanto Mel está ocupada, as coisas acabam saindo do controle. Francis se enturma com o grupo e nem mesmo palavras grosseiras e irônicas são capazes de afastá-lo de Cathy. Mel, então, acaba com dois problemas: Ana, sua segunda melhor amiga, está passando por uma fase complicada depois que o pai fugiu com uma vampira e precisa de ajuda para descobrir o que está acontecendo com a mãe, que anda se comportando estranho; enquanto que Cathy está apaixonada por um vampiro e precisa descobrir as consequências disso.
Com o objetivo de afastar a melhor amiga do sugador de sangue, Mel e Ana desenrolam um plano e invadem a escola durante a noite em busca da ficha de Francis. Elas descobrem algumas coisas a respeito do garoto: sua verdadeira idade, sua não formação e um livro da qual está escrevendo sobre os sentimentos humanos serem a chave para que vampiros também tenham sentimentos. Com a certeza de que esse é o motivo para Francis estar tão próximo de Cathy, ela coloca em prática cada pensamento possível para livrar a amiga de uma decepção amorosa. No entanto, o que Mel não sabe é como lidar com as incertezas do jogo que escolheu jogar. Além disso, ainda há as atitudes suspeitas da mãe de Ana, mas por quê? Por que ela está tão estranha? Por que o pai dela fugiu com uma vampira e se despediu por mensagem de texto?

Em meio a segredos sem respostas, clãs e um humano criado por vampiros, Mel se vê divida entre o que acha certo e o que as pessoas ao redor sentem. Ela não é capaz de alterar o curso das escolhas alheias, mas pode ficar por perto e fazer parte de uma história que nunca imaginou ser real, ou se afastar para sempre das pessoas que ama. 

Time Humanos é um livro complicado de ser resenhado. Apesar da história ser clichê e envolver tudo aquilo que já sabemos sobre os vampiros, ela possui três fatos acontecendo ao mesmo tempo, o que faz a personagem principal se tornar uma verdadeira confusão ambulante. Mel quer resolver tudo o que está ao seu alcance, mas não tem maturidade para resolver seus próprios problemas. Confesso que no meio da narrativa eu só pensava no quanto ela era insuportável. As ideias, os planos, a função de querer afastar Cathy e Francis. Era tudo muito imaturo, muito pessoal e egoísta de certa forma. Ela estava pensando no melhor para a amiga, mas também estava pensando no melhor para si mesma, que não teria de conviver com um vampiro.
Além disso, as autoras criaram um estereótipo tão ridículo para os vampiros que eu simplesmente terminei a leitura querendo não ler mais nada sobre o assunto por um bom tempo. Foi como um bloqueio. E não é só isso, tem mais: Francis, o vampiro bonitão, é o personagem mais chato da história dos vampiros. Ele é antiquado ao extremo e não se adapta ao momento em que vive, sempre lidando com as coisas de forma indiferente. Eu esperava um Edward da vida, confesso.

A narrativa é feita pela própria Mel, com seus inúmeros pensamentos e ideais fora de contexto, mas admito que a leitura flui com leveza, sendo que terminei o livro em dois dias. Quanto a diagramação, só tenho elogios, pois a capa é muito bonitinha, as folhas são amareladas e a forma compacta da obra ajuda bastante o leitor. Percebi alguns erros de revisão bobos, mas sem grandes problemas. Aliás, acredito que a história em si é boa de acompanhar e o final proporciona um quentinho no peito do leitor, mas é uma pena que alguns pontos tenham inferiorizado a qualidade da obra como um todo.

26 comentários:

  1. Achei o enredo bagunçadinho. Mas gosto desses romances água-com-açúcar. heheh ♥ estava com saudades daqui. Finalmente voltei a postar no blog (:

    Beijo enorme,
    Mafê.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que felicidade ver você de volta ♥ Romances água com açúcar realmente são ótimos, principalmente quanto o enredo prende, porque, caso contrário, de nada adianta rs.

      Excluir
  2. Oi, Kelly.
    Lembro que fiquei tentada a escolher esse livro, mas lendo sua resenha acho que fiz bem em não escolhe-lo.
    Acho que peguei birra de personagens chatinhos e ultimamente só pego livro assim haha.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostei da história em si, não posso dizer que é horrível, mas esperava muito mais, sabe? Também ando um pouco chata com personagens assim rs.

      Excluir
  3. Oie,

    Confesso que minha paixão pelos vampiros também começou com a saga crepúsculo... adorei a capa desse livro, fico triste que você não tenha curtido taanto assim a história.

    Adorei a resenha! Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Crepúsculo, por mais que meio mundo fale mal ou reclame de alguma coisa, afirmando de pés juntos que é a pior saga da vida, todo mundo já viu ou gostou em algum momento aiueiauhe. É uma pena mesmo que o livro não tenha me encantado tanto.

      Excluir
  4. Olá Kelly
    Adorei seu texto, você escreve muito bem. As fotos estão incríveis e adorei essa capa do livro.
    Particularmente eu não gosto muito desses livros com essa temática na história. Eu gosto de vampiros, mas prefiro os malvados ao estilo Bram Stoker huahau
    Muito bonito o layout do seu blog
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, aí é complicado rs. Quando a gente gosta do clássico, acaba ficando com uma imagem bem bizarra dos novos vampiros descritos iauehiauhe, mas tudo bem. Fico feliz que tenha curtido o blog ♥

      Excluir
  5. Nem li o livro e já peguei antipatia pelo vampiro bonitão. É um tipo de personagem que não suporto hahaha
    O que me impressionou foi a capa desse livro, fiquei apaixonada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa é lindíssima, né? Também me chamou atenção, uma pena que a história seja maios ou menos rs.

      Excluir
  6. Oi Kelly, tudo bem? Uau como você lê rápido hein. Nesse quesito sou bem lenta sabia? As vezes quando não entendo algo volto no capítulo anterior, se esqueço o nome de um personagem volto também, dá até um frio na barriga começar confundir os personagens haha Também comecei gostar de vampiros com Crepúsculo mas nunca li nenhum livro com esse tema, só os filmes. Mesmo sendo clichê gostei da indicação e da resenha. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre volto também, mas depois tento fazer com que a minha mente se resolva por conta própria e identifique o que é o que aiuehiauehiuh. Mas leia quando puder o livro de Crepúsculo. Achei muito mais válido do que o filme, sério! Fico bem feliz que tenha curtido a indicação, apenas de tudo rs ♥

      Excluir
  7. Confesso que não gosto muito desse estilo, grande parte devido a saga Crepúsculo, então meus sentimentos em relação à histórias de vampiros é diferente da sua; por conta disso, acho que não me interessaria em ler esse livro, pois acabaria fazendo críticas demais e até mesmo desnecessárias.

    http://lenabattisti.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho super válido se arriscar no mundo literário, sabe? Mesmo não curtindo muito diversos gêneros, sempre que leio me surpreendo com alguma coisa, e isso faz com que a minha ideia errônea mude um pouco, mesmo que mínima rs. Mas não gostar faz parte.

      Excluir
  8. Tinha lido hoje mais cedo sobre esse livro e falaram maravilhas, agora to em dúvida! kkkkkkkkkkkk
    Vou ter que ler pra tirar minhas próprias conclusões.
    Amei sua resenha, super completa e bem feita.
    Beijos,
    Ka.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que é muito pessoal essa coisa do gosto, sabe? Eu dou minha opinião, mas terceiros podem pensar de outra forma, então é complicado, mais vale ir pela intuição e tirar as próprias conclusões mesmo. Fico feliz que tenha curtido a resenha ♥

      Excluir
  9. Sou viciada em histórias de vampiros e não aguento mais os clichês. Li outra resenha sobre esse mesmo livro e fiquei bem curiosa para ler, agora tô bem em dúvida. Hahaha
    Amei sua resenha, as fotos e a sinceridade ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou da postagem ♥ Resenhas sempre vão ter seus lados ruins e seus lados bons rs, vale ler e descobrir de que lado você quer ficar.

      Excluir
  10. Francis é um chato mesmo, jesus, insuportável. Adorei todas as patadas da Mel pra ele, e as piadas também kkkkk a do "sangue é o equivalente a um decote" foi a melhor haha. Eu gostei muito desse livro, adorei o universo e tudo de diferente, pra variar dos outros que já li, senão ia ser só mais um. Crepúsculo também foi meu grande amor, veio com passagem de entrada pro mundo literário e com um bônus de paixão por histórias vampirescas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é o pior vampiro das histórias vampíricas rs. Eu também gostei do lado sarcástico da Mel, mas senti que as autoras exploraram super mal o universo e fizeram uma jogada bem fora de contexto. Sei que seria um pouco clichê se fosse mais como os outros, mas talvez elas tivessem se saído melhor rs.

      Excluir
  11. Eu estou ouvindo muitas pessoas falarem bem desse livro, estou louca para ler! Parece ser muito legal, eu amo histórias de vampiros, eu também amei crepúsculo haha meu amorzinho apenas! Eu gostei muito da sua resenha, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria uma pena se eu tivesse aqui escrevendo super mal dele, né? rs. Mas tem dessas coisas. Espero que possa ler em breve e tirar suas próprias conclusões ♥

      Excluir
  12. Uma pena você não ter gostado tanto. Eu, sinceramente, gosto de histórias com vampiros, mas nunca li nenhum livro com algum. Crepúsculo [é o "clássico", mas, eu só vi os filmes; já gostei MUITO da saga, mas hoje acho bobinho hehe. Ah, mas claro que eu poderia dar uma chance se tivesse uma coleção branca igual a sua haha. Que lindos *-* Tá, tá, mas sobre o livro da resenha, achei a capa muito bonita e a premissa interessante, mas as opiniões controversas me deixam mais confusa que a protagonista haha. Talvez um dia eu leia :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa edição de Crepúsculo é linda, né? Eu vivia babando nela, até que vi uma promoção do box por trintinha e fui fundo aiuehiauhe. A edição importada é ainda mais linda, com as páginas vermelhas ♥ Enfim, também considero os filmes de Crepúsculo meio bobinhos demais, mas ainda me ganha rs. Tomara que, quando ler, sua experiência com Time Humanos seja melhor do que a minha.

      Excluir
  13. Não é a toa que as fotos que ilustram o post (muito lindas, por sinal *-*) acompanham o livro Crepúsculo hehe. Para ser sincera, não curto muito a temática - justamente por causa de Crepúsculo! - e prefiro os vampiros malvadões e loucos por sangue do que envolvidos com adolescentes. Os livros da Anne Rice, por exemplo, são ótimos! No mais, achei a resenha muito bem escrita e achei a capa uma graça.

    Beijinhos, Vickawaii
    www.neverland.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre vai existir essa ligação, não é? Fiquei bem feliz sabendo que gostou da resenha e das fotos, mesmo não sendo muito seu estilo rs ♥ Nunca fui muito ligada nesses vampiros mais pesados, mas ainda quero arriscar a leitura um dia.

      Excluir

Design e conteúdo por Kelly Mathies | Tecnologia do Blogger | Com amor ❤