01 agosto 2017

Sempre Haverá Você, de Heather Butler

Confesso que estou começando a preferir as histórias leves. Dessas singelas que podem ser lidas em um único dia e ainda assim vão ficar guardadas para sempre na memória do leitor. Por mais que o mistério e a complexidade de casos mal resolvidos estejam em alta, de vez em quando me pego querendo ser breve. Querendo um livro de narrativa simplista e sem rodeios. Foi o livro Extraordinário que despertou esse interesse em mim. Agora, sempre que procuro obras mais delicadas, vejo o quanto de escritores puros existem por aí. Sempre Haverá Você, por exemplo, se encaixa em todos os quesitos. Eu o li dentro de algumas horas e consegui absorver mais conteúdo do que um livro de 400 páginas que havia terminado anteriormente. Talvez o segredo seja a ingenuidade e a sinceridade de uma narrativa infantil.
George é um garotinho de 10 anos, enquanto que seu irmão, Theo, tem apenas sete. Eles vivem em uma família comum, com pais surpreendentes e avós rígidos que estão sempre com eles nas comemorações anuais. Além disso, agora eles também têm um cachorro chamado Goffo, que adora comer orelha de porco, mas distribui gases mortais por causa disso; e os avós têm o Ivan, o Terrível, que é irmão do Goffo e foi adestrado, passando a ser chamado somente de Ivan. Para os garotos, Goffo vai mudar a família e trazer brincadeiras novas à tona. No entanto, há outra questão que também mudará a vida dos dois: a doença da mãe, que a deixa sempre cansada.

Título: Sempre Haverá Você
Autor: Heather Butler
Páginas: 256 páginas
Editora: Novo Conceito
❤ Livro cedido em parceria com a editora
A mãe do George e do Theo é genial. Ela conta histórias incríveis, acena mais rápido do que qualquer pessoa do planeta e, o mais importante, foi ela que sugeriu que eles adotassem um cachorro porcalhão chamado Goffo. Os meninos acham que ela é invencível. Mas eles estão errados. Porque a mamãe está doente. E cabe ao George e ao Theo fazer a mamãe continuar sorrindo. O que, muito provavelmente, vai envolver galochas, tortas de carne e a participação do Goffo no Concurso de Talento Animal.
George sabe que algo está errado mesmo que ninguém o tenha contado o que está acontecendo. Ele percebe nos detalhes, como quando a mãe rejeita uma brincadeira ou quando se sente mal depois de comer. No entanto, ele não se priva de curtir os momentos ao lado do irmão, dos amigos da escola e do cachorro bobalhão que a família adotou. Goffo é um astro dentro de casa, mas a avó não concorda muito com isso. Ivan é muito comportado, senta-se quando pedem, dá a patinha e não sai pela lama fazendo caras engraçadas. Goffo, por outro lado, não perde a oportunidade de pular em cima das visitas em busca de um carinho extra. Mas agora que a mãe está diferente e a vó passa tempo de mais na casa dos garotos, todos terão de se acostumar com o jeito durão dela.

Theo, mesmo com tão pouca idade, também entende que nada está tão bem quanto imagina. Então, ele e George colocam em prática um plano que pode ajudar a mãe a melhorar: muitas risadas e ideias de última hora, o que envolve a ajuda do pai e da avó, além, é claro, do cão desengonçado. Mas, apesar dos esforços, eles terão de aprender o que é uma conversa de adulto e o quanto algumas células anormais se reproduzindo podem destruir a vida de uma pessoa tão invencível.
Sempre Haverá Você é uma história cativante. Talvez ela não se torne o livro favorito da maioria dos leitores, mas posso afirmar que vai marcá-los de alguma forma, assim como me marcou. George nos conta, com uma narrativa sincera e o olhar de uma criança, cada detalhe do seu dia a dia. É claro que alguns acontecimentos não possuem ordem lógica, mas podem ser facilmente interpretados, pois o ritmo de leitura, apesar de rico em sutilezas, é muito previsível. Além disso, a relação do garoto com a mãe é muito intensa, e ele demonstra o tempo inteiro o quanto está perdido, querendo desesperadamente que as coisas voltem a ser como eram antes, mas com aquela voz interior que afirma o que ele não quer acreditar: talvez as coisas mudem para sempre.

A beleza da história não está nos acontecimentos em si, mas, sim, nos personagens. Theo, por exemplo, é um garotinho mimado e birrento, mas a todo momento procura formas de consertar o que não tem conserto. Enquanto que George, por ter um coração imenso, está sempre cuidado do irmão e da mãe, que se torna cada vez mais distante. O fato é que até quem está de fora acaba se envolvendo com tudo. Eu me coloquei por diversas vezes no lugar dos meninos e me vi tão perdida quanto, se não mais, porque, para ser sincera, a gente nunca está preparado para ver quem amamos cair. Na verdade, acho que não existe um sentimento capaz de descrever a sensação.
Quanto a diagramação, ela é simples e os espaçamentos entre as linhas, assim como os fatos diários de George, enriqueceram a obra, facilitando em muito a leitura. A capa, por outro lado, não é das mais bonitas (já falei por aqui o quanto detesto capas com pessoas, né?), mas acho que combinou com a história. De qualquer forma, é um livro simples, com uma narrativa simples e personagens construídos a partir de um olhar infantil, mas posso dizer que vale a pena conhecê-lo.

18 comentários:

  1. Que capa mais fofa! Já quero esse livro! <3
    Acompanho seu blog há um tempão, acho lindo!
    Sucesso, viu? Beijo, beijo!

    * tem post novo lá no blog ♡
    www.poderosaderosa.com.br
    @blogpoderosaderosa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha curtido a resenha, espero que possa ler em breve ♥ Aliás, um mega obrigada pelo carinho.

      Excluir
  2. Que resenha linda ♥ amei o livro, curti muito a história

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que curtiu o livro e a resenha ♥

      Excluir
    2. Sabe, relendo sua resenha, lembrei de quando comecei a ter mais interesse por livros.Não lembro o nome do livro, eu tinha 10 anos, contava a história de um menino pobre que morava no morro, e da janela do quarto ele criava seu mundo. A história era de reflexão, e ao mesmo tempo mostrava a visão e a inocência de uma criança. Curto muito livro assim, e sério, sua resenha ficou linda.

      Excluir
  3. Que resenha maravilhosa! Curti muito o livro, a capa em si é linda, e o conteúdo (história) parece ser bem legal <3
    Beijos
    https://pensamentosvoados.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não gosto tanto da capa, acho que ela poderia ter sido melhor elaborada, justamente para atrair o leitor e a imaginação, mas a história é uma delicadeza só ♥

      Excluir
  4. AAAAAA amo livros e histórias simples, mas que nos marcam e nos ensinam muitas coisas. Pela sua resenha dá pra ver que ele é bem bom de ler e tem uma história cativante. Fiquei muito a fim de ler, vou acrescentar ele em minha lista no Skoob e ler assim que possível.

    Beijos,
    Pinguimtagarela.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara que consiga ler ♥ A história é cativante e traz uma simplicidade sem igual, sabe? Acho que vale a pena ler livros assim de vez em quando e exercitar um pouco nossa simplicidade literária.

      Excluir
  5. Que resenha boa desse livro! Não conhecia, mas adorei saber mais e com toda a certeza vou tratar de comprar para ler. Ja quero saber o final do livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico bem animada em saber que se interessou pela história ♥ Espero que possa ler em breve e saber sobre o final.

      Excluir
  6. Oi Kelly, tudo bem? Que lindo mais amorzinho. Realmente alguns livros nos cativam mais que outros. As vezes pensamos que será uma leitura normal porém a leitura acaba nos conquistando. Acho interessante o autor passar a história pelos olhos de uma criança isso traz serenidade e inocência à história. Conforme fui lendo sua resenha imaginei a amizade entre os dois irmãos, o cachorrinho, é um cenário delicado de se visualizar. Gostei muito da indicação. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que a intenção da escrita da autora é justamente trazer à tona um assunto tão delicado em meio as miudezas da vida ♥ Acho tão bonito quando um escritor consegue colocar no papel essa junção. Aliás, super concordo contigo quanto a inocência e serenidade da criança. Deixa a história muito mais acolhedora, mesmo que trate sobre algo difícil de lidar.

      Excluir
  7. Também estou lendo livros com histórias mais leves ultimamente, é bom para descontrair não é? Curti ler a resenha e concordo que a escrita da Heather Butler realmente traz uma serenidade. Beijão! www.infectedbyculture.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bom quando a gente começa entende a simplicidade das histórias leves, né? Apesar de serem singelas, carregam tantos sentimentos descritos ♥

      Excluir
  8. Adorei saber um pouco mais sobre a história. Os meninos tem uma mãe muito especial e acho que isso os deixa motivados para ajudá-la nessa fase.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que qualquer criança tem esse pensamento, né? Por mais que não entenda por completo a seriedade do problema, o coração se dá conta do resto ♥

      Excluir
  9. Amo leituras assim, minha ultima leitura foi Extraordinario que voce citou eu realente amei, e estou super curiosa pra ler esse também

    ResponderExcluir

Design e conteúdo por Kelly Mathies | Tecnologia do Blogger | Com amor ❤