20 março 2017

Olho por Olho, de Jenny & Siobhan

Quando recebi o e-mail da editora sobre os parceiros receberem todos os lançamentos dos três primeiros meses, fiquei bem chateada, para ser sincera, afinal, muitos dos livros incluídos não fazem parte do meu segmento e tampouco do meu interesse, mas acabei superando e parando para analisar aqueles que realmente me interessaram. Um deles faz parte da trilogia Olho por Olho, da qual não conhecia e sabia que precisaria ler para conseguir resenhar o último livro. Sendo assim, acabei comprando os dois primeiros volumes para embarcar na história. Não criei grandes expectativas, mas fui surpreendida com uma escrita envolvente. Além disso, a contexto me lembrou muito de Pretty Little Liars, o que me fez ficar ainda mais empolgada com a leitura.
A Ilha Jar é um local tranquilo e pequeno, daqueles que as pessoas nem mesmo conhecem direito. Em época de férias, poucos são os moradores que permanecem na ilha, portanto, o silêncio e a paz são visíveis. Mas isso se você considerar que Lillia, Mary e Kat ainda não haviam se encontrado. Lillia e Kat já possuem um passado não muito agradável. Junto com Rennie, elas formavam um trio de melhores amigas inseparáveis, ao menos era o que parecia, mas algo fez com que Kat se afastasse e sobrasse somente Lillia e Rennie. Assim, elas montaram um novo grupo de amigos, incluindo Reeve e Alex. Mary, por sua vez, está se mudando para a ilha novamente, depois de passar algum tempo longe. Mas ela também tem um passado e algumas contas para acertar com Reeve.

Título: Olho por Olho
Autores: Jenny Han e Siobhan Vivian
Páginas: 320 páginas
Editora: Novo Conceito
Alguma vez você já quis realmente se vingar de alguém que a ofendeu? Talvez uma ex-amiga que a apunhalou pelas costas, ou um namorado traidor, ou um estúpido da escola que a humilhou desde que você era pequena. Alguma vez você já sonhou em envergonhá-lo na frente de todos? E, então, alguma vez você se uniu com outras duas pessoas para criar um elaborado esquema de destruição e revanche? A maior parte de nós não pode dizer que sim a todas essas perguntas (felizmente). Mas, certamente, todos nós somos capazes de nos identificar. No entanto, de um exercício de malícia e uma simples brincadeira adolescente, o jogo do “aqui se faz, aqui se paga” poderá assumir proporções trágicas, em que até mesmo as leis da natureza vão se dispor, misteriosamente, para acalmar os corações ofendidos.
Reeve sempre foi muito cruel com Mary pela sua aparência. Ela era humilhada por ele, enquanto nutria uma paixão secreta. Depois de algum tempo longe da ilha, ela retorna a casa da família para morar com a tia. Acreditando que tudo será diferente, ela cria um mar de expectativas logo no primeiro dia de aula, torcendo para esbarrar em Reeve e ele a reconhecer. Mas não é exatamente isso que acontece, e Mary se sente decepcionada consigo mesma pelos sentimentos que ainda carrega. Um dia, enquanto Mary chorava no banheiro, Kat e Lillia se encontram lá dentro. Lillia foi enganada por Rennie, assim como Kat, que também foi enganada por Alex com a irmã mais nova de Lillia. Querendo, de alguma forma, se vingar de todas as vezes em que foram excluídas ou trapaceadas, as duas traçam um plano de destruição.
O esquema inicial incluía somente Alex e Rennie, mas Kat acaba encontrando Mary no estacionamento perto da balsa, chorando por Reeve. Ela resolve contar sobre a vingança contra o grupo e a garota entra no clima de revanche. Alex é o primeiro a ser atingido pela ira das três, depois, Reeve, e, por fim, Rennie, que será o grand finale. Só que tudo isso tem que acontecer com Lillia suprindo sua amizade com Rennie e Alex para que ninguém perceba o que está acontecendo. Nenhuma das três podem se encontrar, cumprimentar ou acenar umas para as outras, afinal, na visão dos amigos de Lillia, ela não possui nenhum envolvimento com Kat, quem dirá com Mary.

Olho por Olho é um livro intrigante. Eu me vi parte do plano em diversas situações, principalmente quando elas se juntam para traçar um roteiro. Os motivos que as levam a querer essa destruição são muito comuns nessa época de escola, ainda mais quando se trata de bullying ou exclusão. Alguns são um pouco sem nexo, mas acabei relevando isso. É difícil não se identificar com os personagens e pegar a dor deles para si mesmo. Ainda que a vingança que elas preparam não seja tão adequada e que a ficção fique muito forte a partir daí, o contexto é envolvente e instiga o leitor a querer mais.

A diagramação é comum: as folhas são amareladas, não percebi erros de revisão e o tamanho das letras ajudaram muito na hora da leitura, já que são um pouco maiores do que o normal e o espaçamento entre as linhas é mais folgado. Em um primeiro momento, fiquei com um pé atrás quanto a capa, já que não sou muito fã quando ela tem uma fotografia real, isso estraga a imaginação do leitor na hora da descrição dos personagens, mas pude perceber que foram bem fiéis quanto aos detalhes e acabei até me apegando a imagem na hora de criar a história na minha cabeça.
Os capítulos são curtos e divididos pela visão das três. Admito que me perdi um pouco no começo por causa disso, mas logo consegui acompanhar. As garotas contam as suas histórias em suas primeiras narrativas para que o leitor consiga se situar sobre o motivo da vingança ser tão desejada. Por mais que soe como algo bobo, as coisas acabam ficando bem complicadas com o decorrer dos acontecimentos, mas eu não posso contar mais do que isso, já que vai estragar as surpresas que a história reserva. De qualquer forma, não há a possibilidade de se sentir como "poxa, eu sei o que vai acontecer". As duas escritoras souberam colocar pontos cruciais em momentos estratégicos que cegam o leitor e o fazem ficar em dúvida sobre tudo e sobre todos.

No geral, eu adorei a história e até já terminei o segundo livro também (prometo que logo libero a resenha), mas uma coisa me incomodou bastante: o fato de incluírem partes paranormais. A história tinha tudo para ser real e servir como referência, mas esse fato estragou totalmente a intenção do livro, tornando-o simples e "mais do mesmo". Eu amo contextos fantasiosos, mas não gostei muito quando inserido aqui. No entanto, não tirei nenhuma classificação dele por esse motivo, afinal, sei o quanto histórias assim fazem sucesso e o quanto as pessoas gostam de misturar o real com o paranormal. Portanto, vale a pena ler. Eu devorei o livro e leria novamente com toda certeza. Agora, estou curiosa quanto ao final e espero que a caixinha da editora chegue logo.

4 comentários:

  1. Oi, Kelly.
    Haja tempo para leitura hen rs.
    Mas confesso que o fato de ter pedaços paranormais me desanimou um pouco e acho a capa tão fraca, na verdade é raro os livros que curto com pessoas.
    Mas pelo menos a leitura ainda ganhou pontos com você.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa realmente é fraca, mas acabou fazendo sentido quando ligada a história, sabe? Acho que esse é nosso grande problema, julgamos um livro pela capa sem nem ao menos dar uma chance para o que tem dentro. Mas, enfim, uma pena que não tenha te chamado atenção.

      Excluir
  2. Nooossa, esses são os outros daquele que recebi e você comentou? Eu quero! As capas realmente poderiam ser mais bonitas, mas a história parece bem legal <3 Um beijo :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São sim, mulher ♥ A história é ótima e bem interessante. Algo meio clichê, mas bacana, sabe? Quanto a capa, sim, poderiam ser lindíssimas, mas tudo bem, né rs.

      Excluir

Design e conteúdo por Kelly Mathies | Tecnologia do Blogger | Com amor ❤