20 fevereiro 2017

Yaqui Delgado Quer Quebrar a Sua Cara

É irônico colocar expectativas gritantes em um livro e ele ser decepcionante, ou não colocar nenhuma e ele surpreender. Neste caso, a segunda opção é válida. Eu encontrei este livro por acaso e o comprei por impulso. Nunca tinha lido nenhuma resenha sobre a história e a sinopse não me convenceu de primeira, mas acabei trazendo para casa e confiando na minha curiosidade. A leitura me prendeu e os personagens me cativaram a medida em que os acontecimentos tomavam forma, o que foi uma surpresa, considerando que se trata de um tema pesado da qual já nos acostumamos. O bullying, quando retratado de forma errada, deixa no leitor uma marca irreparável, mas quando bem colocado, forma opiniões capazes de reverter o ódio. Eu esperava inúmeros deslizes, mas a autora soube trabalhar perfeitamente com o assunto. 
Piddy Sanchez é uma típica adolescente cheia de dúvidas existenciais. Sua mãe é uma imigrante que resolveu deixar a vida comum para encontrar algo melhor nos Estados Unidos. Seu pai, por outro lado, é amaldiçoado por todos os erros que cometeu. Piddy não o conheceu e nem mesmo possui uma foto de como ele era, mas não há problema nisso. Ela tem Lila por perto. Lila, uma latina bonita que trabalha em um salão de beleza e vende produtos, é a melhor amiga de sua mãe. Piddy a considera como uma tia, já que elas se dão super bem. No entanto, nem mesmo o carinho de Lila é capaz de amortecer o impacto da mudança de colégio e o terror que virá a seguir.

Título: Yaqui Delgado Quer Quebrar a Sua Cara
Autor: Meg Medina
Páginas: 272 páginas
Editora: Intrínseca
Uma garota surge de repente no caminho da adolescente Piddy Sanchez para avisá-la de que Yaqui Delgado vai acabar com ela. Piddy acabou de mudar de escola e nem faz ideia de quem seja Yaqui, muito menos do que pode ter feito de tão errado para apanhar. Mas Yaqui sabe quem ela é, e a odeia. Ser filha de uma imigrante cubana e crescer sem um pai já é bem difícil sem ter alguém a odiando. No ensino médio da nova escola, seu corpo atraente desperta tanto os olhares dos meninos quanto o da esquentada Yaqui, que começa atacando a novata com ameaças cruéis, mas demonstra ser capaz de muito mais do que isso, tornando a vida da garota um verdadeiro inferno dominado pelo medo. Denunciar Yaqui não é uma opção. O importante agora é sobreviver. 
Mudar de vida de uma hora para outro nunca foi fácil, principalmente para uma garota latina que ainda está se acostumando com a vida nova. Piddy acreditava que a mudança lhe cairia muito bem, mas suas expectativas vão por água abaixo quando ela percebe que Yaqui, uma das garotas populares do colégio, a odeia sem motivo aparente. O medo a consome imediatamente e as suas únicas perguntas são: "quem é Yaqui?" e "por que ela quer quebrar a minha cara?". Com as ameaças e a dúvida constante, Piddy começa a faltar as aulas, tirar notas baixas e evitar qualquer contato com a garota valentona.
Sua única melhor amiga é Mitzi, mas ela está aparentemente em outro mundo, vivendo novas amizades, tentando ser um exemplo de líder de torcida e morando em um bairro bem melhor. Sem ter com quem conversar, sua opção é ignorar o problema e seguir em frente, fazendo de tudo para que ele seja evitado ao máximo. Mas as coisas não vão bem e tudo só parece piorar cada vez mais. Nem mesmo Joey, um dos antigos amigos de Piddy, e seus conselhos foram dignos de evitar um desastre. 

Neste livro, Meg Medina traz à tona temas como o bullying, a violência doméstica e a precariedade dos abusos. O leitor não só se coloca como parte da história como também vivencia cada situação. Eu não dei muitos detalhes sobre a história justamente para não escrever mais do que deveria, mas não se engane em pensar que é um livro adolescente qualquer. De comum ele não tem nada, e apesar de retratar a violência dentro da escola, fato que é muito comum atualmente, é possível entender a cabeça da vítima e tentar lidar com o problema como se fosse seu. Eu não só me identifiquei com a personagem principal como também me fez lembrar de uma época não muito agradável.

Durante a narrativa, podemos ter uma visão muito realista do que acontece quando o bullying entra em evidência, assim como as consequências de quem precisa lidar com ele da melhor forma possível. Piddy acaba se transformando ao longo da história, sendo visível o seu amadurecimento e o terror que carrega sempre que dá um passo adiante. A personagem perde a sua identidade e começa a se questionar quem é de verdade e qual o motivo de tudo isso estar acontecendo com ela. Não há apoio e suas atitudes se contradizem o tempo inteiro. Aqui, não há romantismo na violência. Não há desculpa.
A história é narrada pela própria Piddy e a leitura flui com uma naturalidade incrível. Já ouvi alguns comentários negativos sobre a obra e o quanto ela é apelativa ou sem conteúdo, mas posso afirmar que é um livro muito bom. A diagramação também ficou bonita e simples, facilitando a leitura. Todos os personagens possuem características marcantes e muito pessoais que os diferenciam com clareza. As páginas são esbranquiçadas, mas isso não prejudica em nada.

Eu gostaria infinitamente de falar muitas outras coisas a respeito do livro, mas não posso. Não quero estragar a experiência de nenhum possível leitor. Só posso ressaltar o quanto a obra é fundamental e o quanto é importante que as pessoas leiam e conheçam mais a fundo um tema como esse. É uma história leve que se transforma junto com os personagens, ganhando vida e perdendo o encanto com o passar das páginas. Eu fiquei presa do começo ao fim, terminando a leitura em dois dias e guardando um pouquinho de cada momento comigo. Meg Medina fez um trabalho excepcional.

42 comentários:

  1. Eu já ia comentar perguntando se o livro tinha sido escrito em primeira pessoa, aí vi que foi. Eu já imaginava pelo enredo e por você dizer que faz a gente se sentir próximo da protagonista. Sempre me sinto envolvida demais quando a narração é em primeira pessoa e acho que me prenderia com muita facilidade nessa história.
    E mesmo que já esteja na sua lista de leitura, te recomendo de novo: lê A Lista Negra da Jennifer Brown. É tipo... Um divisor de águas na sua vida referente à tudo que você sabe, vivenciou ou pensa sobre bullying.

    Quero ler esse também. Vou por na minha lista de "Quero Ler" do Skoob.

    Com carinho,
    Conto Paulistano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gosto muito da narração em primeira pessoa, acho que a maioria dos livros que ando lendo atualmente são assim ♥ Eu preciso mesmo ler A Lista Negra, estou esperando por uma nova estante e promoções aiueiuh. Mas quero muito conhecer a história.

      Excluir
  2. Mais um pra minha lista do Skoob! hahaha
    Amei a forma com a qual você escreveu a resenha. Se eu pudesse já leria agora mesmo!

    Beijos

    www.devaneiosvintage.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um livro muito bom ♥ Espero mesmo que você se interesse pela história e goste da leitura.

      Excluir
  3. Hmmm! Gostei muito. Fiquei intrigada e com vontade de ler.

    retalhodavida.wordpress.com

    ResponderExcluir
  4. Gostei da história, despertou meu lado curioso hahah mas tenho tanto livros para ler aqui em casa, com certeza não vou ter tempo para esse! :(
    Beijos <3

    BLOG OCEANOS DE IDEIAS

    INSTAGRAM OCEANOS DE IDEIAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um livro a mais nunca é demais aiehiauhe ♥ Aqui em casa também tem muitos, mas aos pouquinhos a gente consegue dar conta de tudo.

      Excluir
  5. Gostei bastante de inserir o assunto do bullying junto com o isso de discriminação com a xenofobia, que eu acho que vai ser um problema que vai piorar muito daqui pra frente. Achei bem interessante por ser um bullying que não tem muito a ver com ter um corpo "feio" ou sei lá, falar "errado" mas com de onde a pessoa veio e isso me parece mais grave ainda (se será que isso é possível). Também gostei dessa capa :) e de ser narrada em 1º pessoa ;) Beijão!
    dezoitoemponto.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é verdade, acaba sendo uma temática diferente por não envolver a autoestima em si, mas a cultura da personagem. Acho que a autora soube trabalhar super bem com esse assunto e fez com que o leitor se sentisse próximo da situação. Enfim, fico feliz que tenha se interessado ♥

      Excluir
  6. Oii Kelly, tudo bem? Eu não conhecia nem o livro e nem a autora, acredita? E ao contrário de você, eu não ouvi ninguém falando sobre, nem mal nem bem. Mas achei interessante, pelo menos da forma como você trouxe. Me pareceu ser uma leitura leve e ainda assim voce fica bem próxima com a história. Sempre quando eu leio eu fico com a história e a personagem na cabeça sabe? Esse me pareceu ser o tipo de livro. Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é um livro muito comum, na verdade. Eu só fiquei sabendo dele por estar em promoção na Americanas. Não contei tempo para ficar curiosa rs. Mas a autora tratou do assunto de forma singela, ficando mais pesada em determinados momentos, mas sempre de forma ideal, sabe? Espero que goste e que consiga ler ♥

      Excluir
  7. Eu amo livros adolescentes e narrados em primeira pessoa! Eu não conhecia a autora e muito menos o livro, mas já me apaixonei! Preciso adicionar à lista de leituras, haha! Sua resenha tá incrível, como sempre!

    Bjos, Marinspira <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nha, fico bem feliz que tenha gostado ♥ O livro é muito bom, vale a pena tirar um tempinho para conhecer a história.

      Excluir
  8. Nunca tinha ouvido falar sobre esse livro, mas de cara já me encantei pela capa e provavelmente também o compraria haha
    Tu já leu A Lista Negra? Ele é o melhor livro que eu já li sobre bullying nas escolas, nunca consegui superar. Se tu gosta de leituras nesse tema, com certeza vai amar A Lista Negra.

    Vou procurar saber mais sobre esse livro. Espero encontrá-lo em PDF pq a situação financeira tá foda, rs. Beijo <3

    literarizandomomentos.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já ouvi falar muito desse livro, li Amor Amargo, que é da mesma autora, e fiquei apaixonada pela escrita dela, também demorei um tempão para superar. Acho que preciso ler A Lista Negra logo rs. E sobre a situação financeira, se te ajuda, esse livro tá por 10 reais na Americanas ♥ Espero que consiga ler.

      Excluir
  9. O Bullying ligado a xenofobia é um dos que mais assombra o país e o mundo... Acho incrível essa capacidade de não aceitar o diferente, de ir contra tudo o que não somos, e as vezes até o que somos....
    Esse livro parece ser excelente, ao menos vc me deixou com aquela pitada de quero mais, de mergulhar nesse universo e conhecer mais da visa da personagem.
    Já coloquei na minha listinha de livros pra ler.
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda que outros assuntos possam vir a ser mais importantes, o bullying anda muito presente na nossa vida e precisamos entendê-lo melhor sempre, então vale a leitura ♥ Espero que consiga ler e que goste do contexto.

      Excluir
  10. Anotei esse livro na minha lista de livros que quero ler ainda esse ano, esse tema sobre bullying sempre me despertou muito interesse, já li alguns quando mais nova e amei descobrir esse, pela sua resenha, a história é realmente muito interessante!

    Beijos,

    www.rodoviadezenove.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A história é ótima, e não é aquela coisa boba que a gente tá super acostumado a ver em temáticas desse tipo. Tem toda uma teoria por trás que faz o leitor ficar curioso ♥ Espero que leia em tempo e que absorva as palavras.

      Excluir
  11. Nunca tinha ouvido falar do livro e a sinopse também não me chamou a atenção mas assim como você eu também gosto dessa surpresa de escolher um livro ao acaso. É uma descoberta divertida, como achar um novo esconderijo quando criança :)
    Gostei da resenha, apesar de não gostar de livros com esse assunto.
    Beijo!

    Sorriso Espontâneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito bom quando somos surpreendidos, né? Este livro me deu muito o que pensar e as surpresas foram super positivas, exatamente como achar um novo esconderijo ♥

      Excluir
  12. (Quero abrir um parêntese antes do meu comentário (A MINHA LISTA DE LIVRO TÁ GIGANTESCA) pronto.)
    Amei essa resenha e acabei de me render ao livro, e sim, acabou de entrar na minha lista.
    E essas suas fotos estão uma fofura.
    BEIJOS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, muito obrigada, e desculpe pelo aumento da sua lista aiueiuhe, a minha também cresce cada dia mais. Não sei onde vou parar com tanto livro, mas é tão bom ♥

      Excluir
  13. Assim como você, eu me lembrei de uma época não muito boa. Bullying é algo seríssimo, embora muita gente ache que é "bobagem".

    Ainda não conhecia esse livro, mas me interessei muito por ser algo real (infelizmente), além de ter ficado curiosa sobre o que acontece com a protagonista.

    Adorei a sua resenha (sempre completinhas *-*). Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa "bobagem" é um dos principais motivos de suicídios adolescentes hoje em dia, infelizmente. As pessoas fazem pouco caso para o que é importante, e tempestade em copo d'água para a futilidade. Enfim, espero que goste do livro quando tiver a oportunidade de ler ♥

      Excluir
  14. Melhor coisa, é ser surpreendida por um livro, não é mesmo?
    Eu também fiquei meio assim, devido ao título do livro Yaqui-Delgado-Quer Quebrar-a-Sua-Cara. Porém, sendo dessas que olha a capa do livro, achei ela bem feita, sabe? Uma ideia simples, mas uma boa ideia.
    A história parece ser bem construída, e uma das coisas que me chamou a atenção foram os motivos da Piddy sofrer bullying: os pais estrangeiros e o corpo mais "desenvolvido". Normalmente, os personagens que sofrem bullying tem uma característica física mais "estranha" aos olhos das pessoas.
    Fiquei curiosa. Mais um para a lista hahaha

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa é muito lindinha e tem tudo a ver com o livro, porque aparece essa cena sendo descrita na história logo no começo ♥ E sim, eu achei a história genial justamente por conta dessa diferenciação. É tão comum ouvirmos que o bullying surge por conta de algo estranho que ler sobre o contrário é uma novidade. A autora mandou muito bem.

      Excluir
  15. Não conhecia esse livro antes, achei a capa um tanto interessante e bem diferente o título chama atenção a nossa curiosidade, mas também pode causar o receio de comprar e acabar não gostando, ainda mais por pensar que é um livro pra adolescentes e ter um conteúdo considerado "bobinho" pra jovens adultos ou adultos. Mesmo você não tendo dado todos os detalhes que queria, conseguiu destacar perfeitamente aqueles importantes na resenha e despertar curiosidade sobre o seu conteúdo.

    beijos,
    deloucostodossomosumpouco.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que isso está mais ligado ao pré-conceito literário, sabe? O livro não tem nada de bobo e o conteúdo é super contextualizado, assim como os personagens são muito maduros para a idade, mas levam a vida da melhor forma que conseguem. Acho que vale a pena deixar de lado essa coisa de que cenários colegiais são desnecessários. Tem muita história bacana envolvendo isso ♥

      Excluir
  16. Não conhecia esse livro a capa me chamou muito atenção, a história é muito boa eu gostei bastante, você foi falando de uma forma que eu pude entender muito bem o livro, fiquei com muito com muita vontade de ler, parece ser um livro q surpreende

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa é um amorzinho, né? A parte bacana é que ela tem tudo a ver com a história ♥ Que bom que ficou curiosa quanto ao livro, espero que consiga ler em breve.

      Excluir
  17. Oi lindona! Adorei a capa do livro! Bullying é um assunto muito sério. Eu sofri bullying do ensino fundamental ao ensino médio (faculdade também não escapou) e não quero de jeito nenhum que os meus filhos passem por isso. Quanto mais falarmos abertamente sobre o assunto, pouco a pouco mais vamos conscientizando as pessoas. Parabéns pela iniciativa de falar sobre o assunto e sucesso com o blog. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não que eu tenha falado sobre o assunto, mas é bem verdade. O bullying é um tema seríssimo que precisa ser destacado, por isso é tão bacana saber que até a literatura abriu um espaço para coisas mais sérias ♥

      Excluir
  18. Como você mesmo falou, trabalhar com esse tema é bem delicado. Já tinha ouvido falar desse livro (só não lembro aonde) e já tinha ficado curiosa sobre ele. E você conseguiu me deixar com mais vontade ler ainda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é maravilhoso, um pouco lentinho no começo, mas vale muito a pena conhecer a história, sabe? Espero que consiga ler ♥

      Excluir
  19. Seria muito clichê se eu dissesse que fiquei com uma vontade louca/incontrolável/desenfreada para ler esse livro? O jeito com que você brinca com as palavras, menina. É lindo. É um trabalho exepcional. Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é clichê, e eu fico bem feliz quando sei disso rs ♥ Muito obrigada pelo carinho, moça.

      Excluir
  20. Amei cada palavra sua, me senti com uma vontade doida de ler esse livro! 💜 já quero!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que curtiu e se envolveu na resenha ♥

      Excluir
  21. Nunca ouvi falar, mas vou dar uma pesquisada. Parece ser um livro interessante. Vamos ver o que vou achar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que se interessou, espero que goste ♥

      Excluir

Design e conteúdo por Kelly Mathies | Tecnologia do Blogger | Com amor ❤