02 dezembro 2016

A vida é um sopro

Às vezes, diante de um acontecimento e outro, paro pra pensar que talvez a vida seja ingrata, mas que nós também somos. A gente esquece de dizer para os outros o quanto eles são importantes no mundo, o quanto alegram corações partidos com um simples sorriso desajeitado. Quando era pequena, tinha o costume de rezar em voz alta e agradecer por todas as coisas. Hoje, tenho medo de falar além da minha consciência e sentir que aquilo na qual acredito seja retirado de mim em algum momento. Nós temos o costume de ligar o automático e levar a vida como acha que pode, sem grandes aventuras ou conquistas aparentes. Somos reféns do tempo.
Esses dias, quando nosso animalzinho de estimação resolveu ir embora, sem ao menos se despedir, eu parei para analisar toda a trajetória dela. Dela, porque era uma fêmea, tinha um porte pequeno e se chamava Megg. Não era um ser humano, mas era um ser vivo da qual convivi por quase dez anos. Era parte da família. E escrever sobre isso já me deixa com um nó na garganta. Fico pensando nas pessoas da qual convivo a minha vida inteira. Aquelas que compartilharam cada momento comigo e que, por sorte, também pude compartilhar com elas. Paro pra pensar nos buracos que vão surgindo com o passar do tempo e na saudade que fica depois que a ficha finalmente cai.

Dias depois, um time inteiro sofreu um acidente de avião. Foi impossível não chorar. Eram pessoas como eu, que tinham sonhos, que estavam conquistando um lugar no mundo, que tinham uma família torcendo por cada passo dado. Eram pessoas comuns, com interesses em comum. Eram sobreviventes.

A vida é um sopro.

Não sei mais que outra palavra poderia utilizar para resumir esse efeito. É estranho pensar que talvez amanhã eu não esteja mais aqui, mas que a vida vai continuar. É estranho tentar compreender essa loucura. Talvez seja por isso que a frase "apenas viva bem, apenas viva", tenha um significado imenso pra mim. A gente passa muito tempo reclamando da vida, sem nos darmos conta de que nada nunca vai ser do jeito que esperamos. Temos tanto medo da morte que nos reservamos ao direito de apenas existir. Mas a vida é um sopro. Você fez tudo o que gostaria? Falou tudo o que está guardado no peito? Talvez, amanhã, possa ser tarde demais.

24 comentários:

  1. Realmente a vida é um sopro Kel e na maioria das vezes não sabemos aproveitar cada pontinha de ar que recebemos através deles, sobre o acidente dos jogadores realmente é difícil que não se comoveu, quem não chorou afinal não eram só figura publicas, eram filhos, pais de família, sonhadores, trabalhadores como todos nós, o mundo se comoveu realmente mas será que iremos todos aprender com essa tragedia, ou simplesmente nos comoveremos agora e continuaremos a viver nossa vida da maneira mais torta possível? Amei o texto como sempre, umbeijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente a gente tem o costume de aprender no momento, depois deixar passar como se nada tivesse acontecido. Seria bem bacana se pensássemos um pouco mais nisso em vez de nos problemas. É tudo tão breve. Fico feliz que tenha gostado do texto ♥

      Excluir
  2. Ao ler o texto, tive a certeza que tu já leu o livro "como eu era antes de você", até citou a frase final que, aliás, eu adoro e tento encaixar no meu dia a dia, embora não esteja funcionando muito ultimamente.
    Concordo inteiramente contigo, a vida é um sopro. Mas é um dilema terrível, não podemos deixar para o amanhã o que podemos fazer hoje, mas apressar as coisas não ajuda em nada. Então, acho que por conta disso, nós ficamos estagnados, acomodados com a vida, pois tudo é inconstante se tratando da vida.


    Beijos,
    Blog Gaby DahmerFanpageInstagramTwitter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que foi um livro tão impactante pra mim que não pude deixar de citar essa frase por aqui. A gente passa muito tempo fazendo as coisas pelos outros, reclamando que nada está certo e que não temos pelo quê lutar, mas nem ao menos levantamos para fazer a diferença. Apressar as coisas não entra nesse caso, mas precisamos sim deixar o medo de lado e ter coragem de fazer aquilo que queremos ♥

      Excluir
  3. Olá <3

    Eu nunca tenho palavras para descrever um texto de reflexão, sabe, é estranho concordar com tudo e não saber o que falar.

    Eu sempre tive a mania de falar com a minha mãe sobre algumas coisas que me questionam, tais coisas como a morte, as pessoas, alguns padrões e principalmente, uma coisa que nunca me sai da cabeça, o porque das pessoas viverem esperando pelas férias, feriados, fins de semana... sendo que assim ninguém nunca vai aproveitar o momento e sempre vai esperar pelo fim, seja lá da semana, do mês, do ano ou então da vida.

    Por mim, todo mundo vivia o agora... porque como você disse, a vida é um sopro. E ela passa assim, do nada, sem avisar, sem deixar a gente se despedir de pessoas importantes.

    Ótima postagem <3

    Beijos, www.valentinices.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é uma reflexão e tanto. A verdade é que somos ansiosos demais, então ficamos esperando pelo fim, porque já estamos pensando em um novo começo. Realmente é complicado, e estranho. Nós somos o agora, é isso que temos, nada mais. O futuro não nos pertence, não é? Não temos controle.
      Fico bem feliz que tenha gostado do texto e refletido junto ♥

      Excluir
  4. Esse texto me trouxe um pouco de cor. Você costuma fazer isso com as palavras, Kelly. Levar um pouco de colorido para o ocasional cinza da gente. Agradeço por isso e sinto muito pela Megg. Perdi meu Fred ano passado, sei que é difícil, no entanto, acaba nos ensinando coisas valiosas.
    A vida é um sopro.
    Espero que o seu seja o mais bonito e perfumado.
    Mil beijos da sua fã mais sumida do mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é verdade, Beca. A gente aprende tanta coisa quando vê alguém da qual temos tanto carinho partir. É extremamente ruim por um lado, mas tão valioso por outro ♥ Também espero que o seu seja incrível e cheio de cor para os dias cinzas rs.

      Excluir
  5. A gente sempre lê por aí que não pode demonstrar demais, né? Que o outro que tem que vir atrás, que não pode se apegar, que isso e que aquilo, em qualquer tipo de relacionamento... Mas se a gente gosta tanto de ser querido por que não demonstrar isso, né?

    Perder um bichinho é sempre horrível. Minha cachorrinha morreu em julho e tem vezes que esqueço, até hoje, de tanta falta que ela faz, parece mentira... E mesmo tendo curtido com ela ao máximo, queria ter aproveitado mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente isso, a gente quer se sentir querido pelos outros, mas não fazemos nada para que eles também sintam esse afeto. Tá na hora de irmos mudando aos poucos e abrir o coração novamente ♥ Perder um bichinho é péssimo, fiquei com aquela sensação de vazio nos primeiros dias. Agora já vai acostumando, mas bate saudade sempre. Impossível não ter esse carinho.

      Excluir
  6. Acho que esse foi um dos textos mais lindos que já li. Ele mexeu muito comigo e vou guardá-los nos favoritos e no meu coração ♥. Muito obrigada pelas palavras, você é incrível!

    Beijo,
    https://goo.gl/z0jtbf

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, que amor, muito obrigada ♥ Fico bem feliz que tenha se identificado e sentido cada palavra. Eu que agradeço pelo carinho.

      Excluir
  7. Eu sempre fico abalada quando penso nesse assunto, principalmente no meu histórico de "vontades de partir" desse mundo.A vida passa muito rápido, vi meus 15 anos se transformarem em 21 num piscar de olhos. Onde eu estive esse tempo todo?
    Amei sua escrita e amei o texto, blog lindo e me passa uma paz <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho essa sensação de vez em quando.Na verdade, de vez em sempre. Parece que não consigo mais acompanhar o tempo, a minha idade ou evolução. É complicado. Fico bem feliz que tenha curtido o blog, espero que ele continue te passando essa sensação boa ♥

      Excluir
  8. Quando paramos para analisar no qual é passageira a vida, passamos a dar valor as pequenas coisas, por que no final do tudo de nada adianta os diplomas e as horas extras para conquistar aquele cargo, e sim um "eu te amo" que não foi dito, um abraço que não foi dado ou um perdão que não houve. Super beijo da Luma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é muito verdade. O diploma e a carga horária só valem de fato quando temos algo pela qual acreditar. Quando a alma está pronta e certa dos sentimentos que carrega, assim como quando os outros entendem esses sentimentos, tudo fica mais leve.

      Excluir
  9. Eu li uma vez (e até coloquei no blog...) Que o futebol é a metafora da vida (...)A gente é Chapecoense na vida porque, por mais que algumas vezes queira e em outras se sinta impotente, está lá, sempre na peleja. Nem sempre com torcida a favor, às vezes com o estádio da vida lotado, tentando virar o jogo fora de casa, mas estamos lá, buscando nossa realização, nosso conto de fadas...

    O seu bichinho de estimação viveu 10 anos intensamente!!! E eles nos ensinam a não ficar se moldando para a vida... Não guardar rancor... Eles não ficam chateados por muito tempo. Por isso que eles vivem menos que nós eles já sabem oque realmente importa nessa vida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Super concordo com a tua teoria. Tem muita coisa na vida que a gente não entende muito bem, mas se pararmos pra pensar no assunto, vamos entender que tudo tem o seu propósito. Estamos sempre em busca de algo pela qual precisamos lutar e conquistar, apesar de nem sempre o resultado ser positivo.

      Espero mesmo que ela tenha vivido dessa forma e que esteja bem e feliz onde quer que esteja. É complicado, mas, no fim, quem sofre é quem fica. Eles já nascem sabendo amar incondicionalmente, enquanto precisamos fazer de tudo para finalmente aprender isso.

      Excluir
  10. Foi essa mesma frase que eu pensei quando eu soube que uma ex-aluna minha de apenas 12 anos faleceu por motivos de saúde! Ninguém esperava por isso e eu fiquei muito triste na época. Quando meu cachorro morreu eu também não esperava e foi um jeito bem chocante pra mim de lidar com a morte. Eu estava lendo um livro antes e nele um senhor olhava para uma foto dele com a ex mulher e ele dizia "Como eu era tolo, nessa foto eu não estou olhando para minha mulher, com o rosto virado pra ela, porque eu achava que teria todos os outros dias da minha vida para contemplá-la. A gente mal sabe o dia do amanhã, somos tão egoístas..." E eu comecei a pensar que era super verdade, comecei a refletir, e meu coração começou a "arder", de repente senti uma vontade enorme de me ajoelhar e orar. Sendo que eu só orava quando criança, depois eu fui perdendo essa fé e acabei não fazendo nada. No dia seguinte meu cachorro morreu, eu não esperava por isso, e foi uma dor muito grande pra mim :'(
    A vida é realmente um sopro e precisamos valorizar as coisas boas, não dá valor para o mal que tentam nos atingir ou que surgem no nosso coração terreno, e principalmente valorizar as pessoas que amamos!
    Beijos

    De cara com a Juh

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É complicado quando a gente não tem experiência com o assunto e acontece de uma hora pra outra. Ficamos sem saber o que fazer, meio sem chão no momento. Essa cena do livro que você leu é bem interessante e acho que ilustra com clareza o sentimento da perda. Sempre achamos que haverá outro dia, outra oportunidade. Temos a mania de procrastinar. Essa coisa de orar é algo que carrego comigo sempre. De vez em quando durmo sem querer, mas nunca deixo de agradecer por tudo. É indispensável. Concordo com tudo que disse, a vida não espera por ninguém, precisamos saber acompanhá-la.

      Excluir
  11. Kelly, de tempos em tempos paro pra pensar no que tenho feito nas últimas semanas e me pego com essas mesmas questões girando e girando na cabeça. Aí me assusto em perceber que em algum momento, liguei o modo automático. Quando era mais nova, menos de 18 anos, tinha tanto medo disso que /às vezes mal conseguia relaxar pra dormir, e fico meio triste que esse medo tenha diminuído. Pois como todo medo racional, é uma forma de proteção. Proteção contra se limitar à mera existência.
    Parabéns pelo post, e a foto da flor é muito linda!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É estranho quando nos damos conta sobre o automático, né? Não percebemos, apenas vamos deixando levar. Na verdade, esse medo é bem complicado, por vezes ele é bom, e outras é muito ruim, mas felizmente conseguimos perceber as mancadas que damos. Fico bem feliz que tenha gostado do post ♥

      Excluir
  12. Lindo seu texto.
    Muitas vezes para para pensar nisso principalmente esse ano depois que perdi meu vô. A saudade é uma companheira desde então. Muitas pessoas dizem que a vida é curta, mas continuam sem aproveitar esse curto tempo aqui, hoje eu sei que esperar a felicidade bater na minha porta não vai fazer de mim feliz. Quero fazer do meu tempo curto aqui o melhor tempo curto e aproveitar ele ao máximo, e aproveitar para ficar do lado daqueles que eu amo e que o tempo curto deles ainda estão percorrendo.
    parabéns pelo texto... e obrigada também. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinto muito pelo seu avô, realmente é complicado perder alguém próximo e se dar conta de que a saudade será nossa única companhia. Precisamos ter mais consciência disso e dar mais valor ao que nos rodeia, ao que nos cerca. Aprender a amar quem está ao nosso lado ♥ Obrigada pelo carinho, moça.

      Excluir

Design e conteúdo por Kelly Mathies | Tecnologia do Blogger | Com amor ❤