22 dezembro 2015

Dança comigo?

Quando entrei por aquela porta vermelha, tive a sensação de que talvez valha a pena sair um pouco da zona de conforto e do vídeo game. Senti um calafrio gostoso na espinha, como se entrasse num lugar totalmente aleatório e estranho. Eu não fazia ideia de quem eram aquelas pessoas dançando, se agarrando ou até mesmo flertando. Fui sozinho mesmo. Precisava fazer alguma coisa, nem que fosse para tomar um porre e depois acabar com a cabeça girando e uma ressaca horrível amanhã. Talvez eu esquecesse aquilo que tanto tento de fato esquecer. Quem sabe, não é? Não custa nada tentar. Mas então eu vi aqueles grandes olhos castanhos me encarando ao longe. Tinha que ficar sóbrio.
Leia ouvindo Olly Murs - Dance With Me Tonight
Comecei a caminhar em sua direção calmamente, assim, poderia disfarçar e ir embora caso desse tudo errado. Pensei em começar uma boa conversa, talvez chamá-la para dançar ou perguntar se costumava frequentar o lugar. Que idiota, isso não é necessariamente algo para se perguntar, há tantos assuntos no mundo. Talvez possa tentar ser uma pessoa normal, ou...

- Hey, você dança comigo?
- Ah, tudo bem, mas eu não sei dançar muito bem e...
- Sem problemas, posso te ensinar.

E ela me puxou para o meio da pista. Não tive nem mesmo chance de repensar minhas escolhas, simplesmente me deixei levar pelo ritmo da música, e dos movimentos daquela garota. Eu parecia perdido, mas ela era incrível e tinha total confiança do que estava fazendo. Não conseguia tirar os olhos dela e percebi que isso era bastante recíproco. A puxei para perto, com receio de levar um tapa na cara, aqui, bem no meio de um monte de gente, mas não, ela se entregou. Um beijo lento, com o choque de dois lábios quentes e algum desejo, muito mais ofegante do que estava esperando. Uma leve mordida no final me fez entender que não era brincadeira, o jogo dela era sério. Eu a encarei por alguns minutos até que vi um sorriso malicioso em sua boca. O devolvi com prazer.

- Talvez queira ir para outro lugar...

Sussurrei baixo, mas fui compreendido com clareza. Segurei em sua mão e subi as escadas, passando por algumas pessoas já caídas nos degraus em estado deplorável. Mas ela nem mesmo me deixou chegar ao topo, me puxou com força e quando dei por mim já estávamos em uma sala. Seu corpo estava desejando o meu tanto quanto o meu desejava o dela. A empurrei na parede e segurei seus braços mais no alto, a beijando novamente, com mais intensidade, mais malícia, mais tesão. Dei um leve chupão em seu lábio inferior.

- Dança comigo essa noite, morena?

12 comentários:

  1. Que legaaal. Gostei muito da construção que fez da linha do tempo do fatos, adorei. ♥

    ACESSO PERMITIDO. ♥
    www.acessopermitido.com

    ResponderExcluir
  2. Aquele texto rapidinho, mas que te deixa sem ar do começo ao fim.
    Me surpreendi com sua escrita e isso foi maravilhoso. Adorei.
    Beijo moça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou Cami, é difícil arriscar com as palavras, mas as vezes sai alguma coisa e é bom saber que não decepcionei ♥

      Excluir
  3. Oi, oi!

    Ain, seu mini-conto ficou lindo! Amei!

    No fim, vale super à pena a gente se jogar de cabeça no que tanto quer, né? Afinal, as respostas são previsíveis: sim ou não. Desistir pra quê?

    Adorei mesmo o teu texto. Ficou ótimo!

    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, muito obrigada ♥ É verdade, sempre gostei de 8 ou 80 então também vivo defendendo a teoria de ser tudo ou nada, né? Desistir não é uma opção, acho que só quem realmente não faz ideia do que quer acaba em atitudes assim. Fico feliz que tenha gostado.

      Excluir
  4. Como sempre, arrasou no texto. Ficou incrível ♥ E festas sempre me lembram um clima do tipo, algo inesperado, e às vezes aquela paixão momentânea e louca por alguém que você nem conhece. Às vezes um pouquinho disso faz bem pra alma. Beijoos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade moça, lembra mesmo, até porque sempre acontece alguma coisa surpreendente ♥ E faz bem sim, uma reviravolta de vez em quando só traz paz. Que bom que curtiu.

      Excluir
  5. MEU
    DEUS
    DO
    CÉU
    Mulher, tu sempre arranca meu coração com tuas palavras.
    O que falar desse texto que mal conheço mas já considero pakas?
    Ok, desculpe, eu estou sem words. Só quero dizer que amei. Amei hard. E que por favor escreva mais como esse. Vou ler de novo, só para suspirar outra vez. Ok? Ok.
    Mil beijossssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn aueheiuh, é muito bom ler isso, sabia? É difícil eu conseguir escrever textos assim, mas de vez em quando sai algo útil ♥ Fico feliz que tenha curtido, e pode ler a vontade u.u

      Excluir
  6. Amei, amei, amei, o texto ficou maravilhoso!!!
    Eu adoro esse projeto, mas ainda não parei para começar a escrever, preciso começar, né? Hehe Beijão
    www.tobemzen.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, precisa começar sim e deve também aiuheihe ♥ Que bom que gostou moça, é ótimo saber disso.

      Excluir

Design e conteúdo por Kelly Mathies | Tecnologia do Blogger | Com amor ❤