13 outubro 2015

Manias que só quem é leitor entende

Há coisas que por mais que insistimos em tentar explicar, elas simplesmente são estranhas para quem não vivencia. Não há uma compreensão, porque somente você sabe o que aquilo significa. Falando desse jeito, até parece que estou tentando traduzir algum sentimento intenso, mas na verdade só estou comentando sobre as manias dos leitores compulsivos. Eu, por exemplo, tenho inúmeras delas que poucos acham comum, alguns chegam a me olhar estranho justamente por praticá-las, mas cá entre nós, tenho certeza absoluta que sou apenas uma no meio de diversas outras pessoas que fazem exatamente a mesma coisa.
Quando entrei no mundo da leitura, comecei a adquirir hábitos que tornam a experiência ainda mais mágica, e talvez até revoltante. Muitas vezes o livro deixa de ser somente uma história publicada e torna-se uma realidade, um portal aleatório para uma dimensão completamente diferente, e única. São manias bobas que transformam uma leitura qualquer em um passeio bidimensional para outra galáxia distante. Mas não é só isso não, há outras centenas de hábitos, manias, costumes, vícios que envolvem um leitor, por isso, na tentativa de trazer um post mais leve, me lembrei desse assunto que, por acaso, garanto que muito irão se identificar: alguns cacoetes que só quem é um leitor consegue entender.

Cheirar todos os livros novos

Não conheço uma única pessoa que não faça isso, até mesmo aquelas que não são muito chegadas em ler acabam por fazer. É impossível resistir ao cheirinho de livro novo que envolve o ambiente quando você o abre. Sem falar no toque, nas texturas, na forma como foi impresso, nas folhas que foram usadas e, principalmente, nas ilustrações que ainda estão com aquele cheirinho de tinta. Por vezes, até na livraria você encontra alguém que faz isso, e fica se segurando para não fazer o mesmo na frente de todo mundo. É algo meio íntimo.

Comprar mais livros do que consegue ler

Quem nunca? Por mais que você tente se controlar, que a sua economia precise prevalecer, que sua estante não caiba mais nenhum exemplar ou que o seu tempo está tão escasso que não consegue mais nem respirar, você vai dar um jeitinho de comprar um livro novo e ficar naquele eterno drama de que tem mais livros do que realmente consegue parar para lê-los. E é claro que na primeira oportunidade vai carregá-los para todo canto na tentativa de encaixá-los em um tempinho extra que tiver, mesmo que não o tenha.

Se decepcionar com as adaptações

Outro quesito que é muito complicado de não ser verdade. Poucas são as adaptações que fazem jus ao livro em que foi baseado, então aqueles que o leram ficam com uma decepção enorme, não por não estar exatamente como na obra escrita, mas sim por não se encaixar com todo o contexto que imaginamos na nossa cabeça quando o absorvermos. Fica aquela sensação de vazio absurdo que o filme nos proporciona. Mas sim, existem exceções.

Ter um personagem como melhor amigo

Sou uma pessoa que se apega muito aos personagens dos livros que leio. Sempre existem aqueles que são tão parecidos com sua personalidade, que a vontade que tem é de transformá-los em pessoas reais e fazer com que vocês se tornem melhores amigos, talvez até de algum outro personagem também. Seja através dos diálogos, das atitudes ou dos comportamentos involuntários no decorrer das histórias, há sempre a possibilidade de se identificar com algum deles.

Vivenciar cada capítulo

Nós não só lemos cada frase, cada palavrinha, cada diálogo, mas também fazemos toda uma encenação na nossa mente, todo um contexto, toda uma história fantasiada, com a aparência e a presença de cada personagem e cada elemento indispensável do livro, onde até mesmo as vozes são pensadas com cuidado. Por vezes até a sensação de estarmos vivendo aquilo se torna real, e então ficamos em um abismo entre a realidade e a fantasia, onde certamente preferimos nos afundar em cada capítulo diferente.

Ter pavor de emprestá-los à qualquer um

Tem coisa pior do que emprestar seu amado livro para alguém e ele retornar com a capa toda arranhada ou riscada? Com as folhas mal cuidadas? Com amassados nas pontas? Com a orelha toda desconfigurada? Não tem. Um livro para um leitor é como um filho. Há todo um cuidado especial, um ritual de armazenamento, um ciúme excessivo que é quase impossível de perder. Da última vez em que emprestei um livro, até mesmo a lombada estava rasgada. Nunca mais.

Querer ler o livro antes de assistir ao filme

Ler a obra escrita antes de parar para assistir ao filme é algo que tenho relevado ultimamente, afinal, são tantos livros e filmes sendo lançados que é impossível acompanhar tudo, mas tenho muito o costume de querer ler antes de assistir, reparar nos mínimos detalhes que passaram despercebidos, nas cenas que foram cortadas, na aparência e descrição dos personagens. Todo leitor tem um pouco dessa mania, até porque, assim conseguimos ter uma ideia do quão bom ou quão ruim ficou a adaptação.

Fazer caras e bocas com os diálogos

E por último, o eterno drama de se ler um livro em público por causa das inúmeras caretas que fazemos sem perceber. Em um momento mais feliz da história, rimos junto do personagem. Em uma morte inesperada, entramos em luto também. Nas decepções, ficamos confusos ou irritados com o que tal pessoa fez com tal pessoa. Entre sorrisos, choros e nariz franzido, nos deparamos com alguém nos encarando seriamente como quem diz "você está bem?". Quem dera poder dizer "estou ótima, mas fiquei com raiva de fulano, ele não tinha o direito".

28 comentários:

  1. Meu Deus, me identifiquei com tuudo (exceto o de não querer emprestar - meus amigos também amam livros)! Amo muito essa vida de leitora. ♥
    Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meus amigos também amam, mas eu peguei um trauma enorme e me recuso a emprestar para alguém, principalmente quando sei que vai demorar para voltar pra mim ou quando a pessoa não tem cuidado sabe? Ciúmes iuaeuhae ♥

      Excluir
  2. HAHAHAHAHA bem a minha vida em um post!!! <3

    http://www.1001julietas.com/

    ResponderExcluir
  3. Não querer emprestar é muita a minha cara, peguei trauma depois de uma vez que acabei levando um livro na escola pra ler e várias meninas viram e pediram emprestado, aí o livro começou a passar de mão em mão pela sala e tinha dias que eu nem sabia com quem o livro estava. Quando me devolveram a capa estava cheia de marcas de escrita porque alguém colocou uma folha por cima do livro e começou a escrever, foi bem triste </3
    Uma manina que eu tenho (não sei se todo leitor tem essa) é de me imaginar no lugar dos personagens e ficar imaginando o que eu faria no lugar deles haha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, eu ficaria num pavor enorme, sem falar que tenho uma certa mania de organização e carinho com minhas coisas, odeio que mexam no que é meu, sem exceções, e meus livros são raridades que não me agrada dividir. Parece egoísmo, mas é só ciúmes mesmo. Sim, entra no quesito de vivenciar cada situação, cada capítulo, ser o personagem em si ♥

      Excluir
  4. Ah, isso é bem verdade! Amo cheiro de livro novo e se já assisti o filme, dificilmente vou ler o livro, a ordem precisa ser respeitada. Também odeio quando a adaptação fica desastrosa, as vezes tenho até medo que o livro vire filme por causa disso. Percy Jackson foi a pior adaptação que já vi na vida, fiquei absurdamente decepcionada. Sobre emprestar, daqui uns dias vou celebrar um contrato formal e registrado em cartório pra fazer isso.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cheiro de livro novo é uma delícia, sem mais auiheiuah ♥ E sim, também tenho um pouco desse pensamento, mas as vezes a teimosia toma conta e vou lá ler o livro depois do filme pra dar com a cara no chão mesmo. O livro de Percy Jackson eu nunca li, então fiquei feliz só com o filme mesmo, ate que gosto dele, mas acredito que tenha muitas coisas cortadas. Acho que isso de fazer um contrato formal seria bem válido, viu?

      Excluir
  5. Antigamente eu não ligava de emprestar meus livros, hoje em dia, eu penso duas vezes antes de emprestar! Não sou daquelas loucas, mas uma vez um amigo pegou um livro emprestado e não devolveu, a bad bateu certinho =[ hauheuaea Muito daora esse post!

    irianneveloso.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, não devolver é a pior situação que pode acontecer, mas devolver todo estragado também é horrível, não sei qual das duas opções é a pior, sinceramente. Eu penso mil vezes antes de emprestar, e de pegar emprestado também. Obrigada moça ♥

      Excluir
  6. Nossa, tudo verdade! Emprestar meus livros é um desafio imenso. E porque sempre comprar livros demais - livros nunca são demais! <3
    www.doceconceito.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca são um excesso, sempre digo isso quando me perguntam para quê ter tantos livros na estante auiheiuahe ♥ E emprestar é um desafio mesmo.

      Excluir
  7. Eu tenho cada uma dessas manias e algumas mais, haha
    Emprestar livros é uma das coisas mais traumatizantes da vida, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, geralmente pegamos esse trauma depois de uma experiência horrível com alguém que destruiu seu objeto precioso. Mas faz parte né? aiueuhe ♥

      Excluir
  8. Apenas verdades ahhahha.
    Aquele desejo eterno de comprar todos os livros mesmo sabendo que não irá lê-los rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem nunca? Impossível entrar em uma livraria e não querer sair de lá com pelo menos uma sacolinha aeaiuheiuh ♥

      Excluir
  9. Sobre cheirar livros: AMO. DISAJDLKSA Mergulho a cara mesmo, na livraria, em casa, em qualquer lugar. Velhos, novos. Livro tem cheiro de livro, que para mim é o mesmo que aspirar felicidade. haha
    Comprar mais livros do que consegue ler: Eu, você, zoobomafoo e o resto do mundo. Centenas de livros em casa esperando nossa leitura, mas aquele na livraria parece tão solitário e tentador... Vou levar!
    Odeio adaptações ruins, fico tão triste e frustrada. Especialmente quando é de um livro que amamos. Oi? Alguém disse Percy Jackson?
    Sobre o quarto item: aquela vontade de arrancar o personagem das páginas e ter ele só para você. Quem nunca?
    E eu sempre prefiro ler antes de assistir kkk, às vezes nem nunca me interessei pelo livro, mas lançou filme e os amigos querem assistir? "CALMA! PRECISO LER O LIVRO ANTES!"
    O último: melhor item kkkkkkkkkkk. Eu faço as caretas, as vozes, as falas, tudo de cada personagem. E quando aparece "fulano franziu o cenho", franzo também para visualizar melhor a cena kkkkk.
    Me abraça.
    Melhor lista haha.
    Amei.
    Beijo!!!!!!!

    Com carinho, Beca; Café de Beira de Estrada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cheirar livros é tão bom, uma pena se eu tivesse rinite e saísse espirrando loucamente depois, mas é uma sensação ótima ♥ Sim, mil vezes sim, aqueles livros sozinhos, tão carentes nas livrarias são um pecado. Sobre as adaptações, realmente é complicado, acabamos nos decepcionando mais com a estréia do filme do que gostando de fato, como pensam. Tem vezes que me deixo levar e me arrisco em ver o filme primeiro, mas tem alguns que são impossíveis, afinal, já temos uma ideia do quanto será cortado. Então, VOCÊ LEU MINHA MENTE, é exatamente isso. Também boto em prática cada uma das descrições, e é muito bom porque conseguimos vivenciar cada uma das emoções. ~abraço~

      Excluir
  10. Me identifiquei muito, principalmente no "fazer caras e bocas com diálogos" pensa que eu leio no trabalho, nos intervalinhos que não tem nada pra fazer, eu não posso me empolgar muito, infelizmente huashuas mas às vezes é mais forte que eu.

    http://pinkisnotrose.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, somos duas aiuehauhe ♥ Acho que fazer as caras e bocas que descrevem nas histórias é uma forma ótima de encorporar o personagem, e sim, é muito mais forte do que nossa vergonha ou o medo de se empolgar com a situação.

      Excluir
  11. Sempre que eu entro em uma livraria, eu fico tempos olhando todos os livros e pensando: "Vou levar esse... Não, melhor esse. Ou esse?" kkk Nunca me decido porque quero levar mais do que posso. Geralmente acabo comprando online, mas é quase a mesma coisa. Um costume que eu tinha, mas perdi, era ler a última página :P Mas eu ficava ansiosa demais, então parei com o tempo.
    http://porbrunareinert.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, verdade, isso quando você não anda namorando mais de um livro e ambos surgem na sua frente no mesmo momento, aí fica aquele coração partido por levar um e deixar o outro iuaeiaueiuhe. Então, essa é um pouco comum comigo, adoro abrir e ler a última página, mesmo não entendendo nada ♥

      Excluir
  12. Apenas li verdades, aiai esses leitores hahah. E eu vivo um dilema eterno de não poder ver o filme até terminar o livro, até parece traição se eu fizer, não vou chatear os meus queridos amigos livros.
    Adorei o post :)
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alguns eu confesso que burlei essa regra, principalmente quando sei que irei demorar anos até conseguir pegar o livro nas mãos, mas esperar têm suas vantagens ♥

      Excluir
  13. Realmente te entendo! Manias tão estranhas que nos tornam tão próximos de outros leitores <3 Agora eu aprendi a separar o livro do filme, porque adaptação é algo bem complicado, então analiso como um filme qualquer e consigo ser feliz, rs. Adoooro cheirar livro, principalmente porque tem editoras que o cheiro do papel é diferente, chega a ser viciante. Enfim, adorei o post, gostei de me encontrar um pouco em cada situação.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Continuo não separando a adaptação do livro, porque, afinal, são a mesma coisa e deveriam sim ser iguais. O livro e a história nele contida, é nada mais do que um roteiro que pode muito bem ser gravado em forma de vídeo, só que por cortes de tempo, deixam como está. Mas isso do papel diferente é pura verdade, e muito bom ♥

      Excluir
  14. Acho que leitores deveriam ser uma nova espécie e participar de um documentário do tipo "Vida, manias e habitat" iria ser engraçado ver como de alguma forma nos assemelhamos bastante. Duvido um leitor não ter esse tipo de mania, cheirar os livros e descobrir o suave aroma das páginas novas, fazer um "oh" numa parte do livro, suspirar brava em outra, sorrir com o casal na cena fofa, se apegar a ponto de não querer emprestar, sem contar a parte de comprar muito mais livros do que consegue ler. Ser leitor é tão bom! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, nunca tinha pensado nisso até agora, mas acho que seria interessante sim, e talvez até curioso aiuaeuaieuh. Mas ser um leitor é uma delícia. Viver cada página, cada parágrafo, cada frase. Torna tudo muito mais leve.

      Excluir

Design e conteúdo por Kelly Mathies | Tecnologia do Blogger | Com amor ❤