28 setembro 2015

Somos feitos de camadas

Ainda que insistam que ando por aí usando máscaras, ou que resolvi construir um muro de pedras ao meu redor, mal sabem eles que naturalmente sou transparente. São raros os indivíduos que percebem minha teoria maluca sobre a existência humana. São raros os que entendem meus medos e receios, que observam a forma como enrolo o cabelo com a ponta dos dedos quando estou uma pilha de nervos, que reparam na maneira como afirmo com a cabeça quando seguro um choro, ou no instante em que olho para cima para não derrubar uma lágrima que não deveria estar caindo. Sou uma manteiga derretida, essa é a verdade. Sou repleta de camadas.
Não deveria estar falando sobre mim mesma, então vou transpor tudo isso para um personagem criado a partir do que consigo traduzir. Ainda que pareça estranho falar sobre uma garota de pele tão branca quanto a de um vampiro e cabelos escuros que não levam muito jeito, me rendo a dizer que ela é repleta de camadas. Como as de uma cebola, ou de um bolo, ou talvez até mesmo de uma barra de chocolate com caramelo. Você precisa ir descascando aos poucos até finalmente conseguir adentrar a parte interna e então saborear o conjunto completo. Há aqueles mais rudes, que fazem questão de arrancar tudo de uma vez só, e então se decepcionam por não compreenderem o real sentido. Há aqueles que preferem ir com calma, e então enxergam algo surpreendentemente diferente da fachada inicial.

Se esconder entre muros e plásticos bolhas não é necessariamente uma defesa, é uma prevenção. A tal garota costuma dar dois passos para frente e um para trás, sempre na tentativa de não se ferir com tanta facilidade, ou de não sair sangrando de uma briga que nem deveria existir. Primeiro a análise, a pesquisa de campo de um modo geral para entender quais os tijolinhos firmes em que ela pode permanecer. Depois vem a abertura, a parte em que vai se despindo aos poucos e deixando a alma mais clara e nua, mas qualquer vento mais forte é sinônimo para colocar a vestimenta novamente. Qualquer terremoto a faz regredir. Ainda me admiro em saber que existem pessoas que insistem, que tentam de novo, mas entendo que a grande maioria vai embora no primeiro obstáculo. Não os culpo.

Por mais que eu queira me colocar de fora, meus olhos enchem de lágrimas ao relacionar uma estação de trem com a minha vida. Por mais que queira falar sobre uma outra menina qualquer, tenho a certeza de que ela sou eu, e irá continuar sendo. Me desculpem pela melancolia, ultimamente ando me segurando para não desabar. Sabe quando você está com a sensação de que pode desmaiar a qualquer instante, e então se segura no que há mais próximo para não cair? Tenho feito muito disso. Tenho me segurado em qualquer faísca que apareça de algo bom, só que até mesmo as coisas boas andam me deixando no chão. E então desabo, sinto vontade de simplesmente sumir e fingir que não sou ninguém.

Sempre que deixo minha alma despida, vem alguém e me mostra que estou errada. Sempre que me cubro, aparece alguém e me diz que estou fria. Não sei o motivo, mas nunca consegui ser esse meio termo que tanto querem que eu seja. Sou um excesso e sei disso, mas também sou feita de inúmeras etapas. Ando torcendo de dedos cruzados para que alguém perceba cada ponto que deixo transparecer.  Na grande parte do tempo, digo coisas que são entendidas como outras, demonstro coisas que não são vistas e veem coisas que não existem. Nesse vai e vem de desentendimentos, me vejo em uma corda bamba, não fazendo a mínima ideia de onde está o erro. As vezes só espero que alguém me enxergue no meio disso.
Gostaria de avisar que estou em época de provas na faculdade, por isso a frequência de posts está um pouco menor durante essas duas semanas, mas espero que não fiquem chateados comigo. Prometo que na próxima semana já estará tudo bem novamente.

28 comentários:

  1. "Ando torcendo de dedos cruzados para que alguém perceba cada ponto que deixo transparecer. "
    Que texto lindo Kelly, consegui sentir a angustia da personagem, na verdade em quase todos textos que tu escreve consigo me imaginar dentro deles, mesmo quando não tem muito haver comigo.
    Isso sim é dom♥
    Beijos e que vá bem nas provas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitíssimo obrigada Cami ♥ É gratificante sabe que se vê no personagem, que se envolve desse jeito. Fico muito feliz sabendo dessas coisas, principalmente vindo de você.

      Excluir
  2. Sim, Kelly. Sim!
    Eu queria tanto que alguém tentasse desvendar essas camadas todas que há em mim, mas insistem em focar somente no mais raso. Escrevi um texto sobre isso esses dias e estava pretendendo postar hoje ou amanhã. Sobre as pessoas não se interessarem em conhecer o que há de profundo em nós e nunca conseguirmos mostrar a alguém quem realmente somos. Acho que é por isso que escrevo. Porque quero ser compreendida, desvendada, quem sabe. Mas é tão difícil. E quando parece que alguém conseguiu adentrar nessa profundeza, ele vai embora, e o ciclo se repete :(
    O texto tá muito bom! Espero que tudo isso mude logo.
    Um abraço <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é Nathalia!!! Concordo com vc, as pessoas estão cada vez com mais preguiça de mergulhar fundo, porque estão preocupadas demais com elas mesmas. O que torna qualquer relação fatigante. Bjoks

      Excluir
    2. Acho que poucos realmente se interessam nisso moça, estão mais preocupados com outros quesitos e esquecem de conquistar os outros, e não digo nem no sentido amoroso, digo no sentido de relações mesmo, de afinidade, amizade, no geral. Ninguém se importa muito. É por isso que escrevo também, sou muito melhor com as palavras através de um contexto, porque com elas aleatoriamente as pessoas entendem o que querem, não o que realmente queremos dizer. Confuso né? Muito obrigada, também espero isso viu? ♥

      Excluir
    3. Lu, é exatamente isso, todo mundo quer o rasinho, ficar na beiradinha para não se molhar por inteiro, e ainda criticam exatamente o que fazem. Vai entender.

      Excluir
  3. Um excesso, exatamente como me sinto em alguns momentos. É difícil encontrar esse equilíbrio, mas aos poucos vamos aprendendo a abrandar os sentimentos, sejam eles quais for. Tu escreve bem demais, Kelly! Amei! :)

    http://desapegomental.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que ficamos tão "moles" em sentimentos, que queremos mostrar isso à qualquer custo, para que o outro entenda isso, entenda sua importância, mas então sufocamos. Fico feliz que tenha gostado Jo, muito obrigada ♥

      Excluir
  4. Oie Kelly, acabei de te conhecer. Li o meu primeiro texto aqui e advinha? Me emocionei. Ando me segurando em qq coisa para não cair. Confesso que não tenho mais tantas camadas, algumas estavam tão estilhaçadas pelos golpes da vida que se desfizeram. As que sobraram ficaram mais grossas devido as cicatrizes e cada vez é mais difícil retirá-las. Ainda ando fugindo, porém agora saio por tinta e em qualquer pedacinho de papel. Está tudo lá naquelas páginas que falam de mim! rs
    Já estou seguindo linda, será um prazer visitá-la sempre. Também te convido a conhecer um pouquinho mais meu coração, ops, meu blog. rsrsr
    www.acheiaspalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com o tempo vamos nos deixando transparecer por impulso mesmo, afinal, estamos tão cansados de nos despir que uma hora simplesmente deixamos à mostra e quem quiser se aprofundar tudo bem, quem não quiser que dê meia volta. Mas também há esse problema, de algumas ficarem mais cheias, complexas. Seja muito bem vinda moça ♥

      Excluir
  5. Alguém disse manteiga derretida, bem isso é comigo mesmo e a cada dia que se passa esta cada dia mais difícil de esconder esse meu lado e apesar de ser uma pessoa muito transparente ainda encontro pessoas que não conseguem entender nenhuma das minhas virgulas ou pontos finais, o que me leva a pensar que muitos ainda andam sem olhar para os outros, sem observar os detalhes o que é uma pena se quer saber minha opinião, amei o texto Kel, beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho esse costume de ir escondendo, mas acaba que uma hora você cansa, se desgasta de trancar tanto sentimento. Acho que somos duas então, será que temos algo errado? iauheiuhae, Enfim, acho que é muita coisa sendo complicada enquanto não deveria ter tanta rigidez. E concordo com sua opinião, é por aí mesmo.

      Excluir
  6. Nossa, que texto lindo! Acabei de conhecer seu blog e, woow, já estou apaixonada por ele! Me identifiquei quase que completamente com esse texto! E aquilo que não tem nada haver comigo, consegui encaixar dentro de mim, de uma forma inexplicável! É incrível como certas pessoas conseguem escrever de uma forma que te leva a sentir tudo o que está sendo expresso, cada palavra consegue mexer com seu interior, mesmo, muitas vezes, você não tendo passado por algo assim! Assim como você, me expresso através das palavras, ainda não me soltei muito, mas mesmo assim me identifiquei contigo! E, sinceramente, me impressionei com o jeito que você escreve, não sei, com uma leveza mas ao mesmo tempo expressando algum sentimento em cada palavra colocada dentro do texto! Tudo isso me deixa sem palavras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que quando a gente para de interpretar e passa a nos colocar como personagem, mesmo que ninguém entenda isso, os sentimentos tomam conta de tudo. É muito bom saber que conseguiu se encaixar no texto, mesmo ele não lhe dizendo muitas coisas. Se solte, é uma sensação boa de que você está livre para sentir e expressar o que quiser, sem pretensão ou medo do que os outros poderão achar. Para alguém que fica sem palavras, você se expressou muito bem, então obrigada ♥

      Excluir
  7. Moça, estou muito mais que emocionada... Este texto me fez ver que não sou a única no mundo que passa por esse problema. Ontem mesmo, eu estava muito mal, não é querendo me fazer de vitima nem nada, mas é que como você citou "Sou uma manteiga derretida". Eu tento mostrar a quem quer que seja, que eu sou forte, que eu posso suportar, enquanto por dentro está tudo desmoronando. Quando escondo meus sentimentos afim de me defender ou apenas não ouvir um "Nossa! Como você é dramática" acabo ouvindo um "Nossa! Como você é fria". Eu sou intensa e esse é o problema, não sei viver de metades, assim como não sei ser meio termo em nada. Hoje em dia, as pessoas tentam nos moldar, ao invés de tentar nos decifrar. Nos dias de hoje as coisas acontecem rápidas demais e ninguém mais está disposto a reservar um tempo para nos entender e só ir nos conquistando aos poucos. Por esse motivo, assim como você ando confiando cada vez menos nos passos que dou, sempre dando "dois passos para frente e um para trás", para evitar que eu me machuque ainda mais. Enfim, é isso. Boa sorte nas provas. Beijos

    Desculpe por esse comentário exagerado haha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro comentários exagerados ♥ Somos duas então, ando derretendo por qualquer coisa, e por mais que consigamos nos segurar, parece que sempre tem aquele pontinho que transborda tudo. Geralmente também escuto muito disso, acho que a partir do momento em que queremos ser um pouco mais fortes, todos ao redor percebem isso e aí mesmo que nos julgam. É estranho né? Mas faz parte, não se sinta errada por isso. Espero que consiga dar um basta nessas desconfianças, elas não são muito boas. Muito obrigada moça ♥

      Excluir
  8. Ual, Kelly.
    Como sempre, me escrevendo por aí, não é? Sobre a indiferença, juro que eu sempre digo quando alguém que amo muito age assim comigo que é a coisa mais cruel que pode fazer comigo. Concordo demais contigo nisso.
    É raro encontrar pessoas realmente dispostas a nos despir sem ao menos tirar nossas roupas. A conhecer os nossos pedaços, aquilo que mesmo sob a alma transparente, é difícil de entender. Porque a qualquer sinal de ventania, a gente se cobre novamente.
    E sim, nós sabemos, saímos nos agarrando por aí em qualquer corda de coisas boas que encontramos, torcendo para não cair, torcendo para que ninguém corte do outro lado. Mas nem sempre isso é bom, sabe? Às vezes pode ser um fio de cabelo disfarçado. A gente bem que podia aprender a traçar nossa própria trança, ou tear nossa própria corda. Lembra do frasquinho de felicidade para emergência? Ele mesmo. É nele que a gente deve se agarrar, e então, encontrar outros bons motivos para guardar novamente.
    E sobre isso, moça, nunca seremos o que todos querem que sejamos, porque cada um quer moldar as pessoas ao seu gosto. Temos que ser quem quisermos ser. Parece clichê, parece óbvio, mas viver para agradar aos outros não agrada a pessoa mais importante nisso, você. Espero que tudo fique bem ♥ E não se desculpe pela melancolia, afinal, é dela que saem os textos mais intensos, não é? rs
    Boas provas, moça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E é mesmo, é a pior coisa que alguém pode fazer. Indiferença para mim vem a partir do momento em que você não se importa mais, não liga mais, e é aí que eu fico no meio do caminho, porque sempre que agem dessa forma, entendo dessa maneira, não sei se estou errada, mas fui educada desse jeito. Pessoas dispostas a nos desvendar é uma raridade absoluta, podemos ficar anos procurando e não encontrando ninguém, isso é um fato. Eu também espero que fique tudo bem viu? E sim, é dela que colocamos todo sentimento retido.
      Muito obrigada Re ♥

      Excluir
  9. Ai, Kelly. Como lidar com esse texto? Ficou tão lindo! Tu conseguiu descrever exatamente o que queria nos mínimos detalhes, de um jeito que eu jamais conseguiria. E hoje em dia as pessoas são tão superficiais, parece que não se envolvem mais. É tão difícil encontrar alguém que consiga nos decifrar por inteiro, nos entender.
    Beijos, e continua com esses textos maravilhosos sempre. E boas provas, também estou passando por um período meio conturbado na escola agora ):

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, muitíssimo obrigada moça ♥ Não se envolvem mesmo, e quando estão se envolvendo, fazem de tudo para que dê errado o fluxo, mas penso que isso é um sinal de que estamos no caminho errado. Espero estar certa sobre isso, pelo menos. Boa sorte com a escola também Mari, que dê tudo certo.

      Excluir
  10. Que texto incrível Kelly, o título logo de cara me lembrou o filme do Shrek quando ele diz para o Burro que somos como as cebolas, temos camadas e me fez pensar no humor da cena do filme de outra forma. ♥
    "Não sei o motivo, mas nunca consegui ser esse meio termo que tanto querem que eu seja. Sou um excesso e sei disso, mas também sou feita de inúmeras etapas. Ando torcendo de dedos cruzados para que alguém perceba cada ponto que deixo transparecer." ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi justamente nesse filme e na hora em que ele fala sobre isso que me inspirei. Somos como cebolas repletas de camadas. Que bom que gostou, fico feliz em saber ♥

      Excluir
  11. Que texto lindo e tão cheio de sentimento. Gosto de texto que me fazer sentir e talvez quem sabe me identificar com a situação tratada. Me vi nesse trecho "Ainda que insistam que ando por aí usando máscaras, ou que resolvi construir um muro de pedras ao meu redor, mal sabem eles que naturalmente sou transparente. "

    Blog Profano Feminino

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que tenha se identificado e gostado do texto ♥ Por ser um tanto pessoal, penso que poucos acabam se vendo no personagem, mas é bom saber que há alguém. Muito obrigada.

      Excluir
  12. oooo neguinha! Sabe, ja li varios textos em que pensei "esse foi pra mim". Mas nunca cheguei perto de pensar isso apenas por ler o primeiro paragrafo. Eu simplesmente li o primeiro paragrafo e pensei "OMG com certeza foi pra mim". Voce me prendeu durante o texto inteiro e foi lindo. Muito amor pelas tuas palavras, porque me vi nelas. Me senti dessa forma, e finalmente, me senti compreendida. Muito obrigada *-*

    http://www.verdadeescrita.com/por-ai-ainda-existe-saudade/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que senti uma lágrima escorrendo aqui ♥ É quase como uma honra saber que fui a primeira a te prender dessa forma. A medida que escrevemos, pensamos em quem vai se identificar. Muito obrigada pelo carinho moça, que bom que te compreendi.

      Excluir
  13. Me identifiquei muito com o seu texto. Considero que também tenho diversas camadas e são poucas as pessoas que conseguem verdadeiramente conhecer quem eu sou. Acredito que a maioria das pessoas vão me conhecer apenas superficialmente e quando começarem a despir cada uma das minhas camadas e perceberem o quanto eu sou complexa e complicada, vão acabar desistindo e indo embora. Também costumo me impressionar com aqueles que têm coragem e insistem em me conhecer de verdade, essas pessoas me provam que realmente valem a pena. E não há nada mais gratificante do que saber reconhecer a importância dessas poucas pessoas que tiveram coragem de conhecer cada uma dessas camadas, e mesmo depois de conhecer cada cantinho meu, resolveram permanecer e estar presente.

    http://lenabattisti.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa coisa de continuarem a permanecer mesmo conhecendo por inteiro é uma das atitudes mais bonitas que existem, porque querendo ou não, somos papéis frágeis transparentes que podem ser perfurados a qualquer instante por qualquer pessoa. É justamente por termos tais camadas que conseguimos diferenciar aqueles que valem a pena a insistência e aqueles que é melhor ir deixando aos poucos. A partir do momento em que alguém deixa de nos acompanhar lado a lado por sermos complicados ou complexos, essa pessoa ainda não sabe ou não conhece o verdadeiro significado da intimidade. Todos somos extremamente complexos, cabe a quem quiser desvendar isso nos manter por perto. Que bom que se identificou ♥

      Excluir

Design e conteúdo por Kelly Mathies | Tecnologia do Blogger | Com amor ❤