23 março 2015

Qual é o som do silêncio?

Acordei de súbito, mas confesso não ouvir nada ao meu redor. As pessoas estão em cima de mim falando alguma coisa que não entendo. Me colocaram sentada em uma cadeira, e percebo milhares de olhos me observando. Não tenho muita certeza do que houve, mas garanto que não foi coisa boa. Meu braço ainda está latejando de dor, e avisto um curativo nele. Está machado de sangue e isso faz meu estômago embrulhar, mas tento dispersar o pensamento. É claro, eu sei o que aconteceu. Sempre acontece. Me estranho por um momento, por ter consciência, mas nunca estar preparada.
Desmaiar não é uma das melhores sensações. Ver o mundo todo preto, pessoas gritando seu nome, suas pernas não corresponderem aos comandos, sair de si mesmo em um instante. Depois, quando volto ao meu estado normal, sinto que perdi alguma coisa, e ela não é material ou momentânea, é algo que está dentro de mim, e desaparece. Aquele brilho no olhar some, e o bom humor acaba indo junto dele. Mas apagar por acaso tem suas vantagens. Afinal, que outra maneira você tem de ouvir o silêncio, enquanto diversos fatos estão surgindo? Parece complexo.

Não digo isso da boca para fora, mas com intenção. É o único momento que eu estou desligada por inteiro, mesmo já tendo passado a fase ruim. Eu apenas vejo as coisas, e sei que deve estar um barulho enorme ao redor, mas não consigo distinguir os sons. É tudo quieto, silencioso. Me lembro dos filmes em câmera lenta, e quase imagino um mundo paralelo dessa forma. Todos se mexem vagarosamente e com cuidado. Enxergo ao longe mandíbulas trabalhando, e ainda sim, não as ouço, me parecem mímicos tentando me fazer adivinhar o que estão conversando.

Me sinto tranquila e calma, o que é um tanto inesperado. Nos cinemas, as pessoas acordam desesperadas por respostas, mas eu acordo não querendo saber de absolutamente nada. Só quero ficar ali, imaginando os ponteiros dos relógios andarem, o amanhecer virar dia, as luzes dos postes irem desligando em sincronia. É tão difícil parar para ver essas pequenas coisas, ou se quer percebê-las, que exijo necessidade disso. Tenho saciedade dos detalhes, e me conformo que esse é o som do meu silêncio. Talvez para os outros não, mas para mim é.

É tudo isso e mais um pouco. São as xícaras sendo colocadas com agilidade nas mesas. Um coração batendo forte. Os pingos de chuva batendo na janela. Os saltos altos de encontro ao assoalho. Uma respiração ofegante. O tilintar de talheres. Um papel sendo amassado. Um relógio se despertando. O que envolve o meu silêncio, se torna o som dele. Se torna parte dele. Mesmo que seja um ruído, um escândalo, um tumulto.

Já faz meia hora que estou aqui, e aos poucos consigo me sentir presente no ambiente. Sinto o toque da minha mãe ao lado, me perguntando se estou bem. A enfermeira vindo de encontro à mim, com uma expressão de culpa pelo que ocorreu. Algo me apertando. O médico examinando minha pressão. Ela está tão baixa quanto deveria. Ainda consigo identificar a dor da injeção perfurando meu braço. Os tubos de sangue sendo recolhidos, e o líquido estranho que precisei tomar uma hora antes. Quero ir embora daqui. Para ser sincera, nem a melodia da minha quietude será bem vinda. Quero paz. E só.

22 comentários:

  1. Menina, eu já falei o quanto adoro seus textos hahah *-*
    Parabéns pelo texto, simplesmente maravilhoso, o silencio é coisa rara, nem mesmo na profunda solidão de nosso cantinho secreto conseguimos ele já que nossa mente turbulenta não deixa, as vezes um desmaio pode ser uma boa ideia.

    www.floreioss.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, que linda ♥ Obrigada. É coisa rara mesmo, hoje em dia anda tudo tão movimentado, que chega a ser.

      Excluir
  2. Muito bom Kelly, gosto de como da pra viajar em teus textos. Escrevi sobre esse tema também rsrs Falto só postar ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nha ♥ Obrigada. Que menino ágil, não tenho essa capacidade.

      Excluir
  3. Adoro o seu blog, mesmo, de verdade! Esse seu texto foi um dos melhores que eu já. E realmente o silêncio é isso o que você falou. Da pra sentir através das suas palavras o que você sente, isso é uma raridade hoje em dia. Parabéns, parabéns!

    http://anneandcia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que linda ♥ Muito obrigada, eu fico muito feliz sabendo que se identifica. Obrigada mesmo.

      Excluir
  4. Um momento pra digerir o texto incrivel que eu acabei de ler, ele é complexo e bem real, gostei muito.

    quemtemcerteza.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que amor ♥ Obrigada, e que bom que gostou dele ♥

      Excluir
  5. Seus textos são fantásticos. De uma descrição incrível, nos sentimentos totalmente imersos. Muito bom!

    Eu.Nomadiando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada. Meu nível de felicidade só aumenta quando leio isso ♥

      Excluir
  6. Não sei mais o que comentar sobre teus textos, são todos muito incríveis e como o Thales disse, dá para viajar muito os lendo. Dá para imaginar cada cena, cada detalhe por mínimo que seja.
    Muito show!!!! <3


    Blog Bright Words

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, que linda ♥ Muitíssimo obrigada Isa, os teus são maravilhosos ♥

      Excluir
  7. Você sabe que sou fã dos teus textos, né?
    A forma como você usa as palavras me prende!!! Acho que nem há muito mais a dizer. Maravilhoso!

    Beijos da Bru <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é? Que coisa linda ♥ Olha quem fala, seus textos dão um banho. Obrigada.

      Excluir
  8. Olá Kelly,
    antes de mais, tenho que dizer isto: estou super feliz por ter encontrado um blog que se pareça um pouco mais com o meu!
    Além de gostarmos (no meu caso, leia-se amar) muito de escrever, estudamos o mesmo curso: Jornalismo!
    Adorei este texto, transmite muito sentimento e realidade (se bem que fiquei com dúvidas se aconteceu mesmo). Te seguindo a partir de hoje, continue assim! Sucesso com o blog.

    Jheniffer Luíz
    blog "A escrita e eu"

    ( a-escrita-e-eu.blogspot.com )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nha, que bom que nos esbarramos então né? Com tanta coisa em comum ♥ Aconteceu sim, foi uma cena que me ocorreu alguns minutos antes de escrever, e acabou se encaixando nesse tema. Muito obrigada menina, sucesso para você também ♥ Ah, seja bem vinda.

      Excluir
  9. Ai Kelly, que delícia de texto! Estou numa fase inicio de depressão e, consequentemente, sempre me identifico com esse tipo de texto. E o seu está tão maravilhoso que, provavelmente, vou relê-lo quando tiver mais tempo. Só deixando aqui uma marca da minha gratidão por ter contato com tua escrita maravilhosa ♥ um beijo! 48janeiros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que amor ♥ Não entre nessa fase de início de depressão não menina, é péssimo e sei o quanto é ruim lidar com certas situações, mas é melhor você levantar a cabeça e passar por cima. Depressão é coisa séria e não quero ninguém perto dela, viu? Espero que melhores ♥

      Excluir
  10. Kelly seu blog já está salvo aqui <3 Mesmo, amei a maneira como escreve e me serve de inspiração pra melhorar meus textos, Ps: onde encontro essa tag ou projeto "642 coisas"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nha, muito obrigada ♥♥ No Facebook, é um grupo que tem como objetivo só esse projeto. Só procurar por 642 coisas sobre a qual escrever, que encontra ♥

      Excluir
  11. Que texto!
    Já pensou em escrever um livro? Se não, faça um favor para a humanidade, comece a sonhar com isso! Garanto que eu ia amar ler suas palavras em folhas de papel!
    Sucesso!
    Um beijo princesa linda!
    www.herdeirasdaspromessas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai gente, que amor, meu coração não aguenta ♥ Eu penso sim, acho que só falta um tema central para mim cair de cabeça em um livro, e inspiração também. Muito obrigada pelo carinho, e pelo incentivo, sério. Te desejo todo sucesso também ♥

      Excluir

Design e conteúdo por Kelly Mathies | Tecnologia do Blogger | Com amor ❤