14 janeiro 2015

Escreva a sua história, de verdade

Quando eu era menor, acreditava que tudo na vida era um ciclo, e que por mais que mudássemos de ideia, ou até mesmo de opinião, as coisas permaneceriam como estavam, porque aquilo era o que estava escrito para mim. Aquilo era o meu destino. Vez ou outra digo que acredito nisso, que cada um tem um caminho traçado e que não há como voltar atrás, mas, às vezes, acho que estou errada, como agora. Até porque, se eu ficar parada aqui e esperar meu corpo entrar em decomposição, ele vai. Eu não estou fazendo nada a respeito, e não é o Cara lá de cima que vai me tirar esse pensamento suicida. Quem está fazendo a minha vida sou eu mesma.
Essa história de que cada um tem um pedaço do céu com linhas em branco, esperando para serem preenchidas, está correta por um lado, mas é falha por outro. O livre arbítrio está aí para ser utilizado, mas tem coisas que vão acontecer sem a gente menos esperar, e nada pode controlar isso. É um assunto um tanto quanto contraditório, mas se pararmos para pensar sobre, ficaremos loucos, pois não há uma explicação viável. A partir disso, eu prefiro acreditar que cada um escreve a sua própria caminhada e que é necessário ter fé para que ela se torne uma realidade dentro de tudo aquilo que ainda vai ocorrer.

Li em algum lugar algo do tipo "escreva a sua própria história, ou terá que se contentar com a que os outros escreverão por você", e eu não quero isso. Não quero ninguém me dizendo o que eu tenho que falar, o que tenho que fazer diante das situações ou o que é melhor para mim. Sou eu quem decido isso. Se eu tivesse um papel em mãos e uma caneta com pouca tinta, eu traçaria o que fosse necessário para ter um rascunho, pelo menos até conseguir outra caneta e aperfeiçoar as anotações conforme os dias se passassem.

Se eu tivesse que escrever um livro, teria de escolher entre deixá-lo em branco e botar nas prateleiras de livrarias para que alguém os compre e faça algo útil, ou me sentar em um canto e transferir para o papel uma dose exagerada de pensamentos. Não teria tempo para planejar nada, não teria a chance de pensar um milhão de vezes antes de agir. Eu teria que começar a compôr em algum momento, e não poderia ficar estendendo planos a ponto de nunca ter um tema. Eu também não poderia forçar palavras ou copiar frases de outros autores, porque não valeria o tempo perdido. Não valeria meu desgaste se é um mero plágio.

Suponhamos que o livro da vida esteja nas suas mãos. Você o passaria adiante? Tentaria fazer um desenho que explicasse alguma coisa? Escreveria um parágrafo ou dez? Penso eu, que cada letra seria um grandioso instante e a forma como ela será desenhada vai ser a forma como você passará por ele. Penso eu, que cada palavra, traduzida ou não, vai depender da sua determinação. É uma obra rara e ela pode ser esplêndida ou simplesmente comum, mas se você não começar logo, não irá saber em qual categoria se encaixará. Não há obrigação qualquer. Ninguém lhe forçará a fazer nada que não tenha vontade. Mas, você tem vontade? Garanto que a tinta pode durar séculos se alguém confiar no trabalho dela, e garanto também que eu vou conseguir escrever tudo que preciso, porque já foram mais de dez capítulos.

20 comentários:

  1. Olá Kelly! Gostei bastante do seu blog, estar fazendo um belo trabalho!
    Poderia visitar o meu blog: https://novosromeus.blogspot.com . Estou ainda no começo, poderia dar algumas dicas?
    Estou te seguindo aqui, Sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, fico feliz que tenha gostado daqui ❤

      Excluir
  2. Excluí meu comentário duas vezes porque escrevi errado nas duas vezes. Mas enfim, a vida sempre propõe vários pensamentos que muitas vezes nem temos tempo de concluir, porque precisamos continuar vivendo e decidindo e seguindo. É claro que precisamos assumir as responsabilidades, mas nem tudo está sob nosso controle. Mas como eu costumo dizer, a vida continua. Ela sempre continua.
    Cherry On

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que quem faz o nosso tempo é nós mesmo, e se for necessário parar por um segundo, que pare então.

      Excluir
  3. Kelly, me abraça (tô comentando aqui porque não tem como comentar na sua página "sobre"). Desculpa a bagunça que tô fazendo no seu blog, mas li seu perfil e me identifiquei contigo. Sobre as barreiras protetoras e a facilidade em ser machucada por palavras. Enfim, tmj! Beijo e vou parar de perturbar agora <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que linda ❤, me sinto em casa quando alguém me fala que se identificou comigo. Bagunça nada, "a casa é sua" haha.

      Excluir
  4. Que texto lindo! Me identifiquei com diversas passagens dele <3

    http://sonhos-empoeirados.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Acho que quando paramos pra pensar que temos um livro em branco pra nós mesmos escrevermos a nossa história, tudo se torna diferente. Temos que fazer valer a pena e correr atrás de fazermos nossa história e deixarmos nosso rastro, porque se não, como você disse, os outros escreverão por nós.
    Beijos.

    sonhosdegarota.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, é como se gastássemos uma nota em algo e não fizéssemos nada com aquilo. É necessário usar e abusar, fazer nossa parte.

      Excluir
  6. Lindo texto....eu tenho tentado aos poucos escrever minha historia...
    Beijos U&B
    Adriana e Cláudia
    www.unhasebocas.blogspot.com.br
    Instagram @blogunhasebocas
    https://www.facebook.com/pages/Unhasbocas/477832645611169?fref=ts

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também tenho tentado escrever a minha. Tomara que dê certo ❤

      Excluir
  7. Adorei <3 Ashuahs Já pensei sobre isso, melhor forma de escrever sua história do que com um diário? :3 São memórias, pensamentos, e eu gosto disso <3 Eu amo escrever, é uma liberdade de expressão e seria injusto que as pessoas fizessem isso por nós, podemos nem mesmo gostar dos resultados <3 Um beijo :*

    amoresporficcao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas não foi isso que eu quis dizer. Um diário é apenas um caderno com seus pensamentos. Escrever sua história não tem nada a ver com isso, tem a ver com superação, levantar a cabeça e ir viver sua vida.

      Excluir
  8. Olá querida, adorei o seu blog, acha que podemo-nos seguir uma à outra? para estarmos sempre em contacto? :) Já agora estou a ter um giveaway no meu blog super querido, podes ganhar um colar muito bonito!

    Beijinhos,
    Fashion gets Fierce.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpa, não faço troca de seguidores, sigo o blog quando gosto e me identifico.

      Excluir
  9. Como você disse o assunto é bem contraditório. Acredito que já viemos para a terra com uma missão, mas o livre arbítrio esta aí, são nossas escolhas e a consequência delas que fazem a nossa vida, acho tbm que nem tudo que acontece depende só da gente, as escolhas dos outros tbm podem nos atingir.Amei seu texto

    www.garotadosuburbio.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Podem sim, mas cabe a nós deixar isso nos abater ou não, disso eu não largo mão. Obrigada ❤

      Excluir
  10. Vamos supor nossa vida em um barquinho, a gente pode deixar o vento soprar, o que seria o destino ou podemos conduzir nosso barquinho de modo a acharmos conveniente o que é o livre arbítrio, mas ainda que tenhamos rumo o vento não vai deixar de soprar e pode acabar alterando o sentido, mesmo que no final a gente pare no lugar que queríamos.. meio confuso né, mas é assim que é a vida. E mais uma vez, amei seu texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, sempre haverá mudanças de rumo, de caminho, mas isso não nos impede de tentar voltar ao que quer, ao destino que deseja. Gostei da sua "metáfora". Muito obrigada ♥♥

      Excluir

Design e conteúdo por Kelly Mathies | Tecnologia do Blogger | Com amor ❤