07 dezembro 2014

Sem padrões de beleza, por favor

Certa vez me perguntaram se eu estou de bem comigo mesma, se estou feliz com o meu corpo, com minha aparência ou com o que os outros acham disso tudo. Eu apenas sorri e falei que sim, porque eu realmente estou bem, meu corpo está ficando como eu quero, minha aparência não é uma das melhores mas também gosto dela e, quanto aos outros, eles que se ferrem, porque eu não estou aqui para agradar ninguém, muito menos uma sociedade que vive ao redor dos padrões de beleza.
Eu passei minha vida inteira lutando contra o que eu realmente sou. Há sempre uma hamartía. Ou é porque sou muito branca de pele, enquanto deveria ser morena igual as modelos de capa de revista, ou é porque sou muito magra, enquanto deveria ter um corpo violão, ou então o oposto, tendo que ser esquelética igual as garotas de passarela. Também tem os julgamentos por conta do meu jeito de falar, já que sou uma menina e deveria ser delicada barra sem palavrões, ou então o fato de eu não andar por aí de vestido todo dia, sendo que um short ou uma calça é muito mais confortável. Sempre há uma crítica e sempre vai haver, independente do que eu faça.

Vejo por aí, meninas com seus dez anos de idade já lutando para ter uma aparência bonita, carregadas de maquiagem, com a pele detonada pela grande quantidade de sol, usando esmaltes vibrantes e um batom vermelho exuberante. Quando eu tinha essa idade, só sabia me preocupar com meus brinquedos em ordem, meus desenhos que passavam exatamente na mesma hora todos os dias, em poder comer tudo que eu queria, me divertir com minhas amigas, ir em um parque e ter um balanço vazio. Eu não dava a mínima para o que eu vestia ou deixava de vestir. Eu não me importava em ter a sobrancelha mal feita ou a unha sem cor alguma. Eu também não ligava em ser mais gordinha, desde que eu pudesse comer minha batata frita quando fosse em um MC Donalds da vida. Eu não estava nem aí para o que os garotos iam achar de mim, ele podiam rir a vontade porque realmente não me interessava o que os outros viam.

Hoje eu me importo sim com o que falam de mim, todo mundo se importa, e por mais que digam e batam pé que não, é a verdade. Nós vivemos por meio de rótulos e molduras, sendo que se você se encaixar bem em um dos dois, também vai se encaixar na vida. Porém, há uma grande diferença entre você seguir os passos alheios e criar os seus próprios. Eu sempre preferi a segunda opção, mas também não quer dizer que eu não goste de andar por aí com uma maquiagem que me deixe mais bonita, ou com uma roupa que valorize mais o meu corpo. Isso é uma coisa clichê que qualquer pessoa leva em conta, por mais que recusem a admitir isso. 

Mas se querem saber, eu ainda acho errado titularem uma menina de oito anos sendo a mais bonita do mundo, como anda acontecendo. Se alguém parou para analisar como eu parei, ela segue exatamente aquele típico padrão de "pessoa bonita". É loira, tem olhos azuis de dar inveja em qualquer um, cabelo comprido como deve ser para uma garota, rosto fino e bem desenhado, uma magreza evidente e uma pele equilibrada de pigmentação. É perfeita. Mas e as outras meninas de oito anos que existem por aí? São feias porque não possuem um olho claro? Ou então porque o cabelo é castanho? Isso é ridículo. O que as outras crianças nessa idade vão pensar disso? Certamente que elas precisam ser igual a ela para serem consideradas bonitas.

Eu aprendi que não adianta de nada lutar contra essas coisas, pois é em vão. Sempre vai ter alguém que se acha melhor do que o outro, sempre vai haver essa luta de quem é mais bonito, de quem é mais isso e mais aquilo. Os indivíduos não cansam de se prenderem aos seus próprios julgamentos. Eu não vou dizer que não faço parte disso, até porque, toda vez que saio pela rua usando uma maquiagem mais trabalhada, significa que eu quero ser vista de uma forma boa. Mas não quer dizer que não seja para me sentir melhor comigo mesma. E é isso que falta por aí. Faltam pessoas quebrando as regras e fazendo o que é bom para elas mesmas, sem medo de críticas e sem medo do que vai ser comentado. Se eu gosto de mim assim, não tem porque começar a ouvir as outras pessoas porque elas preferem outra coisa. Eu não sou loira, alta, magra ou com um olho incrível. Mas eu gosto do que eu sou, e é isso que importa.

36 comentários:

  1. Adorei seu texto. Muito bom e pura verdade.

    ResponderExcluir
  2. uaaau que texto maravilhoso!
    mandou super bem, beijos adorei o blog <3

    ResponderExcluir
  3. meu deus, amei o texto, super me identifiquei, afinal nem sempre a gente quer se arrumar ne? e amei o blog tbm :3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem sempre né? Acho que ser feliz com o que você é, é tudo, muito obrigada mesmo ♥

      Excluir
  4. Como você manda bem menina ! Fiquei tipo MEU DEUS que lindo ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nhaa, que linda, muito obrigada, fico feliz que tenha curtido ♥

      Excluir
  5. Concordo totalmente com vc, acho que as meninas estão se preocupando com a aparência cedo demais e perdendo uma fase mto boa, bjs https://atravesdosespelhos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, acho que a infância é uma das melhores recordações que eu tenho e detesto pensar que hoje em dia não é mais assim.

      Excluir
  6. Sempre quis fugir dos padrões, assim como você concordo que temos que nos aceitar como somos, ser felizes como desejamos, ótimo texto e melhor de tudo é saber que existe pessoas que não são pressas aos padrões impostos pela sociedade.

    Beijos
    www.mariaulhoa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fugir dos rótulos é uma das coisas que mais me fez bem. Nada como ser feliz consigo mesmo com base no que te agrada e não no que os outros acham que é legal.

      Excluir
  7. É isso mesmo, a gente tem que nós amar do jeitinho que nós somos. Eu sou uma pessoa que ligo muito pro que os outros pensam se mim, desde pequena eu sou assim. Mas ultimamente eu tenho tentado mudar isso. Ligar o botão "foda-se". E olha tem feito um bem danado!
    Eu fiquei sem palavras quanto ao seu texto, você escreve super bem e consegue expressar o que quer transmitir.
    Beijos
    http://garotas-ao-mar.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem te feito bem e espero que continue assim porque só vai melhorar. Obrigada pelo carinho, eu fico super feliz quando leio um comentário desse ♥

      Excluir
  8. Lindo texto! Amei o blog! Parabéns!

    ResponderExcluir
  9. Simplesmente divino seu texto, confesso que viver sem se preocupar tanto com o que os outros pensam em relação a aparência para mim é complicado, sou livre em atitudes e vontades, mas presa em aparência, não em relação a gostos e estilo, mas em relação ao peso, sou escrava da balança, espero um dia poder ser livre e me sentir bem se estiver com uns kilinhos a mais, adorei seu blog e sua forma de escrever, parabéns, só uma dica , não leve a mal, é pro crescimento do blog, separe mais as frases, como fez neste artigo:



    Respondendo a tag de 7 coisas, , um exemplo 5 6 no máximo 7 frases, um espaço que pode ser igual esse que dei acima e assim por diante, pois assim como está fica mais difícil de ler, e alguns leitores mais preguiçosos(rsrs) ou com problemas de visão desistem antes do fim. Bjinhoss e muito sucesso, da sua mais nova seguidora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, eu também andei me preocupando um monte por causa do meu peso a um tempinho atrás, mas quer um conselho? Isso é uma droga, porque tu acaba começando a se controlar com tudo quanto é coisa, e uma hora teu organismo simplesmente "morre". Se você se sente bem sendo mais cheinha, qual o problema disso? Não há nenhum. Agora como você diz, que não consegue se sentir bem assim, então começa a fazer alguma coisa pra mudar isso.
      Muito obrigada pelo conselho, vou procurar segui-lo, porém sou muito acostumada a escrever a mão e quando passo para o blog, esqueço desses detalhes. Seja bem vinda ♥

      Excluir
  10. Nossa até me emocionei agora haha.. Ta muito bom, e é a mais pura verdade. A sociedade se deixa levar muito pela midia, e por essas votaçoes e talvez as outras crianças começam a se cortar e fazer essas maluquices por isso.. Pois a midia impõe oque é bonito ou não...

    Adorei seu blog linda parabens, muito sucesso pra você
    Beijoks

    Kah
    http://karinspohr.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, vai de nós aceitar o que nos impõem ou não. Muito obrigada ♥

      Excluir
  11. A mais pura verdade, me imaginei escrevendo esse texto, lindo.. perfeito.. definem ele !
    http://thingsdafernanda.blogspot..com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nha, que linda. Obrigada mesmo, que bom que gostou ♥

      Excluir
  12. Concordo grande parte contigo, acho mais confortável vestido a calça. haha, Mas, sim, seremos felizes apenas quando aceitarmos e sermos realmente o que formos.

    Beijos
    www.modaeeu.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, não generalizei, não se preocupa aiuehiuahe, também gosto de usá-los, porém me sinto muito melhor com uma calça, por exemplo.

      Excluir
  13. Seus textos são maravilhosos! Sempre me identifico e eu nunca me deixo levar por esses padrões de beleza, eu sou feliz do meu jeito e isso é o que realmente importa.
    De repente cresci

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, se você gosta, a opinião dos outros é o de menos ♥

      Excluir
  14. Realmente temos que sermos felizes do jeito que somos, sem se preocupar com o que a mídia impõe, arrasou no post querida!

    Beijocas,

    www.nossoglamour.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Eu sempre fui uma pessoa com o foda-se ligado 24 horas por dia. Do tipo: tô gorda? foda-se!; não sei andar de salto e amo allstar? foda-se.
    Hoje as coisas não são assim, pois eu me importo. Me importo ao ponto de me deixar ser pega pela anorexia/bulimia e, embora eu me considere curada e não tenha chegado ao extremo (pois corri antes), aconteceu e é uma luta diária. Antes eu me olhava no espelho e mesmo acima do peso, tirava fotos e mais fotos. Hoje em dia é difícil me aceitar. Eu adorei o seu texto - como sempre - e fica um alerta pra moçada de hoje. O padrão mais importante é o teu.

    beijos
    http;//jurodemindinho.blogspot.com.br
    htt://maedafilhadamae.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se é tão difícil de você se aceitar hoje em dia, porque continua na mesma? Acho que se deu tudo errado, se você caiu em uma armadilha desse tipo, a solução é voltar, fazer o que te fazia feliz antes. Se você era mais feliz cheinha, e tinha saúde com isso, acho que não tem o porquê de continuar desse jeito. Muito obrigada ♥

      Excluir
  16. Aprendi que não importa em que fase da vida você vai estar, vão querer e cobrar de você um padrão. Eu, por exemplo, como sou descendente de italianos sou mega branca, de dar dó mesmo. É serio! Minhas veias chegam a ser visíveis sob a pele. Mas não pode. Onde já se viu uma brasileira branca desse jeito? E sou baixinha. E peituda e bunduda. Mas como isso produção? Sempre fui muito magra, mas é culpa da minha estrutura física, do meu organismo. Cabelo claro, mas não liso e nem enrolado. Olho claro no sol e escuro em lugares fechados. Você usa lente, pode confessar.
    Agora estou grávida e pensei: amém. Vão parar de implicar comigo. Engano meu. Você não acha que está magra de mais para uma grávida? Cade essa barriga que não cresce? Já de seis meses e só essa barriguinha? E porque não está ganhando tanto peso como as outras grávidas? Grávidas tem que ficar gordas. Sério! É um saco e já perdi a paciência e, sim, já mandei guris pra pqp. Eu sempre fui feliz comigo do meu jeito (tirando a cor do meu cabelo que ficou vermelho pra ver se destacava meu rosto branquinho) e continuo feliz com meu barrigão de grávida. O que importa é como nos sentimos. Amei seu texto

    http://vidasempretoebranco.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deixa eu te contar, também sou branca, tipo branca meeeesmo a ponto de todas as minhas veias serem visíveis, mas, quer saber? Eu gosto disso, mas também já fui julgada até meu último fio de cabelo por ser assim, e comecei a querer ficar mais moreninha, mas quem disse que eu consigo? Eu me aceitei assim e não ligo mais se alguém ri ou tira sarro por causa disso. E esse negócio de estar grávida tem que estar gorda é só blablabla de gente que não tem o que fazer. Não vejo problema algum em estar com uma criança no útero e manter minha saúde. Enfim, muito obrigada e parabéns por ser uma quase nova mamãe.

      Excluir
  17. Adorei seu texto e a forma como você se expressou, a mídia tem cada vez mais tentando minar nossas mentes com o bonito e o feio, sendo que beleza é algo completamente relativo. Gostei bastante do texto e concordo principalmente com a menina de 8 anos, desde quando isso é idade para se estar nesse mundo "adulto" de beleza, provavelmente essa menina vai perder as melhores partes de vida buscando ser sempre linda. Criança tem que ser criança e o resto da humanidade tem que se amar da maneira que é, não importa o quão magra aquela revista quer que tu seja, tu tem que ser o que tu quer.
    Parabéns pelo texto, um beijo.

    http://pinkisnotrose.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei seu comentário. É exatamente isso que quero expressar no texto, porque acho errado tanta pressão em uma coisa tão banal. Há um padrão por aí que se diz ser melhor do que qualquer outra forma de ver o mundo, mas eu não concordo muito com ele, e pelo visto você também não. Obrigada ♥

      Excluir
  18. Voce disse muitas verdades, as vezes deixamos de ser nos mesmos so pra ser aceito pelas pessoas sendo que nos e que temos que nps aceitar!
    Beijos lindona!
    blogdakarulina@blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, essa é a tarefa mais difícil, mas também é a mais prazerosa ♥

      Excluir

Design e conteúdo por Kelly Mathies | Tecnologia do Blogger | Com amor ❤