25 maio 2017

Velha e louca

Finalmente aprendi que a gente precisa seguir em frente, moço. Passei a vestir minha roupa mais bonita e resolvi botar o pé na estrada com uma bagagem carregada de coisas boas. Não sei bem a hora que irei voltar e nem mesmo se irei voltar um dia. Já que a alegria faz morada, não quero deixá-la perdida por aí sem companhia. Não me importo que diga o quanto estou maluca, porque sei que tudo depende do ponto de vista. Você está aí, e eu aqui. Ando desejando absurdamente que essa vida toda seja boa e que essa tristeza melancólica não passe de uma fase ruim. Então, não vem tirar meu riso frouxo com algum conselho. Me deixa ser velha, louca e, apesar de tudo, feliz.
Você pode ler ao som de Mallu Magalhães - Velha e Louca
Talvez seguiremos por caminhos diferentes e lá na frente nos cruzaremos novamente. Talvez eu nunca mais saiba de você ou dos seus planos mirabolantes. Talvez você me esqueça em um piscar de olhos. Talvez haja muitas possibilidades para nós, mas, neste momento, meu único objetivo é viver. Se quiser vir comigo, tudo bem, mas mais uma vez lhe peço que não tire o meu sorriso com cara de desaprovação e palavras de represália. Não tira meu riso frouxo. Oras, sorria comigo. A vida é uma imensidão de prazeres ocultos e escondidos nas entrelinhas, você precisa enxergar com cuidado, com calma e atenção. Você precisa ter o dom de ver em cada canto o lado bom.

É que essa sua indiferença não faz os dias serem ensolarados. É que essa sua falta de vontade em enxergar o mundo não o faz olhar mais adiante. Olha para mim, moreno. Vê esse sorriso? Coloca um no rosto também e sai por aí. O passado deve ficar lá atrás, o futuro lá na frente e o presente é agora. Veja as coisas boas. Mas, se não conseguir, pelo menos não me desarme. Pode falar, não me importa, o que eu tenho de torta, eu tenho de feliz. Mesmo que nem sempre em passos firmes, mas sigo meu caminho até onde convém. Você pode ficar parado, mas eu vou em frente, exatamente como desse ser.

Pode falar que eu nem ligo. Eu nunca sei da hora. Eu nunca sei de nada. Cansei dos dias mais ou menos e de não fazer parte da multidão. Cansei das caras feias e das expressões de desagrado. Cansei das pessoas que não conseguem ver um tantinho de felicidade nas outras. Cansei da inveja e dos olhares tortos. Cansei e ver um mundo preto e branco enquanto há milhares de cores para pintarmos as paredes da vida. Cansei da negatividade. Cansei de ser metade. Cansei da infelicidade. Agora, não vem tirar meu batom vermelho com a sua ingratidão, é que eu tenho tido a alegria como dom e em cada canto eu vejo o lado bom. Então, pode falar, não me importo, porque eu sou feliz.

23 maio 2017

Espero por Você, de J. Lynn

Eu sei que ando um pouco distante aqui do blog, mas juro que é por uma boa causa. Desde que fui contratada, parece que minha vida saiu dos trilhos por completo. Ainda estou tentando me adaptar ao novo ritmo e fico me cobrando para não deixar nada de lado, mas nem sempre consigo conciliar trabalho, faculdade, blog, leituras e vida social. De qualquer forma, só queria deixar registrado que não fico feliz por isso, mas sei que é uma questão de organização e prometo que vou me esforçar. Como prova disso, hoje trouxe a resenha de um livro ótimo para quem gosta daqueles romances mais envolventes. Comecei a leitura sem expectativas, mas a obra me surpreendeu muito.
Avery é uma garota decidida e cheia de atitude, mas sua vida é dividida entre um antes e um depois. O antes ficou marcado alguns anos atrás, quando ela sofreu um enorme transtorno psicológico e emocional. A Avery popular e rodeada de amigos se tornou uma fugitiva da sua própria existência, sendo julgada e humilhada até mesmo pela família, que optou por fazer um acordo e manter a boca fechada para não perder o status da qual vinham lutando. A garota, sem saber exatamente o que fazer ou em quem acreditar, entrou em uma guerra contra si mesma, mas caiu na real quando percebeu que estava indo longe demais.

Título: Espero por Você
Autor: Jennifer L. Armentrout
Páginas: 384 páginas
Editora: Novo Conceito

❤ Livro cedido em parceria com a editora
Avery Morgansten precisa fugir. Ir para uma faculdade a centenas de quilômetros de casa foi a única forma que encontrou para esquecer o acontecimento fatídico que, cinco anos antes, mudara sua vida para sempre. O que não estava em seus planos era atrair a atenção do único rapaz que pode mudar totalmente a rota do futuro que ela está tentando construir. Cameron Hamilton tem um metro e noventa de altura, impressionantes olhos azuis e uma habilidade notável para fazer com que Avery deseje coisas que ela acreditava terem sido roubadas irrevogavelmente dela. Envolver-se com ele é perigoso. No entanto, ignorar a tensão entre eles — e despertar um lado dela que nunca soube que existia — é impossível.
A única saída para se manter o mais longe possível de todo o inferno que vinha passando foi se mudar para uma nova cidade, com novas pessoas, novos amigos, novos vizinhos. A ideia de Avery era se tornar invisível, se enturmar com a população e não ser nada mais do que uma garota comum da universidade. Tendo isso em mente, ela montou um roteiro completo de tudo que precisaria fazer para não ser notada, como sempre chegar cedo na faculdade e evitar se envolver com quem quer seja. No entanto, o que Avery não imaginaria é que ela esbarraria, literalmente, com um dos caras mais populares do campus, chegando atrasada logo no primeiro dia de aula.
Cameron, segundo os novos amigos de Avery, é o sonho de consumo de todas as mulheres da cidade, o que o torna um perigo constante, mas ele não percebe a insegurança da garota e passa a fazer o possível para conquistá-la, principalmente após saber que ela mora no apartamento ao lado do seu. Além disso, o destino também cooperou ao colocá-la na aula de Astronomia, o que dá a ele a chance de se aproximar de Avery e convidá-la para um encontro. E ela recusa. Então ele chama novamente. E mais uma recusa. Até que isso se torna um código entre os dois e acaba virando uma piada interna. Aos poucos, ambos vão se descobrindo e passam a se entender.

Mas isso não significa que o passado ficou para trás. Desde que se mudou, Avery vem recebendo ligações e e-mails que desafiam a sua consciência e fazem com que ela se feche cada vez mais em seus próprios segredos. Apesar de se sentir segura e confortavelmente aninhada às sensações que Cam a desperta, ela não está pronta para contar a verdade. Cameron, por outro lado, também possui segredos escondidos em atitudes do passado, o que os torna cúmplices de mistérios que não são revelados, mas que acabam vindo à tona quando deixam suas almas à mostra.

Espero por Você é o primeiro de uma série, no entanto, para aqueles desesperados como eu que se sentem aflitos por conta de continuações, o ponto mega positivo deste livro é que ele termina de forma coerente e não depende de outro para o leitor entender o desfecho. Além disso, as outras obras contam histórias diferentes, com personagens diferentes, mas em comum aos primeiros. Eu não tenho palavras para dizer o quanto achei esta história um amor e o quanto me peguei sendo boba e rindo sozinha com as pequenas demonstrações de conquista dos personagens. Provavelmente ficarei tentada a ler as outras publicações, mas enquanto elas não são laçadas aqui no Brasil, me contento em escrever sobre este livro em particular.
Cam, apesar de retratar aquele fatídico personagem bonzão dos seriados americanos, é um cara extremamente amável, o que me encantou muito. Avery, por sua vez, é uma personagem bem trabalhada que carrega mistérios que podem ser facilmente deduzidos, mas que só se tornam explícitos quase no fim da leitura. Mas não, isso não é um ponto negativo, muito pelo contrário! O fato de não saber exatamente o que incomodava Avery me fez ficar focada para descobrir uma pista, um relato, um simples diálogo que contasse mais, se aprofundasse mais.

O ponto alto da história é, com tamanha certeza, os assuntos mais pesados que a envolvem. Mesmo sendo um romance e a sinopse remeter ao que chamamos de água com açúcar, de nada singelo tem o livro. A intensidade é absurda e faz o leitor ser parte de cada cena. Infelizmente não posso listar todas as coisas que fizeram com que eu me apaixonasse pela obra, pois isso daria um belo de um spoiler, mas posso afirmar que há muito mais além daquilo que se pode imaginar. Há visões diferentes de mundo que deixaram uma marca em mim. Pude aprender um pouco mais sobre comportamentos psíquicos, ao mesmo tempo em que sentia junto a personagem cada uma das sensações que Cam era capaz de despertar. E posso escrever mais? Eu amei a referência dos cookies, mas vou deixar isso em aberto para que vocês fiquem curiosos e descubram por conta própria o que significa.
Uma coisa que me incomodou um pouco foi que a Avery tem um problema imenso para se desligar de um acontecimento tão antigo, só que eu entendo que quando uma pessoa sofre algum tipo de violência, é comum ter essa insegurança, é comum ter essa marca. Apenas acho que a autora poderia ter explorado um pouco mais a situação sem necessariamente tirar a dor da personagem, porém reduzindo a angustia narrada ao longo do livro. Fora isso, a leitura é leve e a escrita da Jennifer é bastante fluída.

É claro que Espero por Você não é um livro daqueles de tirar lições e aprendizados únicos, mas é possível, sim, enxergar as coisas de outra forma a partir dos personagens. É um romance erótico incrível que me deixou sem fôlego em diversos momentos e que conquistou meu coração por pequenos detalhes impecáveis. Ele foi parar na minha lista de favoritos e nem mesmo as resenhas negativas me fizeram mudar de ideia. Portanto, recomendo muito a leitura e fico aqui ansiosa para os próximos livros, torcendo para que seja tão bons quanto este.

12 maio 2017

Dança comigo?

Quando entrei por aquela porta vermelha, tive a sensação de que talvez valha a pena sair um pouco da zona de conforto, e do vídeo game também. Senti um calafrio gostoso na espinha, como se entrasse num lugar totalmente aleatório. Eu não fazia ideia de quem eram aquelas pessoas. Fui sozinho. Precisava fazer alguma coisa, nem que fosse para tomar um porre e depois acabar com a cabeça girando e uma ressaca horrível no outro dia de manhã. Talvez eu esquecesse aquilo que tanto tento, de fato, esquecer. Mas então eu vi aqueles grandes olhos castanhos me encarando. Retribuí com um sorriso de canto e torci para não estar imaginando coisas.
Leia ouvindo Olly Murs - Dance With Me Tonight
Comecei a caminhar em sua direção calmamente, assim, poderia disfarçar e ir embora caso desse tudo errado. Pensei em começar uma boa conversa, talvez chamá-la para dançar ou perguntar se costumava ir ali com frequência. Que idiota! Isso não é necessariamente algo para se perguntar, há tantos assuntos no mundo.

- Hey, será que você gostaria de dançar?

E ela me puxou para o meio da pista.

Não tive nem mesmo chance de repensar minhas escolhas, simplesmente me deixei levar pelo ritmo da música e dos movimentos daquela garota. Eu parecia perdido, mas ela era incrível e tinha total confiança do que estava fazendo. Não conseguia tirar os olhos dela e percebi que isso era bastante recíproco. A puxei para perto, com receio de levar um tapa na cara, mas não, ela se entregou. Um beijo lento, com o choque de dois lábios quentes e algum desejo, muito mais ofegante do que estava esperando. Uma leve mordida no final me fez entender que não era brincadeira, o jogo dela era sério. Eu a encarei por alguns minutos até que vi um sorriso malicioso em sua boca. O devolvi com prazer.

- Talvez queira ir para outro lugar...

Sussurrei baixo, mas fui surpreendido. Segurei em sua mão e subi as escadas, passando por algumas pessoas já caídas nos degraus em estado deplorável. Mas ela nem mesmo me deixou chegar ao topo, me puxou com força e quando dei por mim já estávamos em uma sala. Seu corpo estava desejando o meu tanto quanto o meu desejava o dela. A empurrei na parede e segurei seus braços mais no alto, a beijando novamente, com mais intensidade, mais malícia, mais tesão. Dei um leve chupão em seu lábio inferior.

- Dança comigo essa noite, morena?
Design e conteúdo por Kelly Mathies | Tecnologia do Blogger | Com amor ❤